Cotidiano

Prefeito contesta inclusão de município de MS entre os 6 de ‘grau extremo’ para coronavírus

Dalmy Crisóstomo, de Alcinópolis, afirma que município teve 2 casos positivos atribuídos e segue com baixa taxa de contágio.

Humberto Marques Publicado em 16/07/2020, às 14h42 - Atualizado em 17/07/2020, às 11h11

Vista aérea de Alcinópolis (Foto: Reprodução/Prefeitura de Alcinópolis)
Vista aérea de Alcinópolis (Foto: Reprodução/Prefeitura de Alcinópolis) - Vista aérea de Alcinópolis (Foto: Reprodução/Prefeitura de Alcinópolis)

A inclusão de Alcinópolis –a 313 km de Campo Grande– na lista de municípios sob bandeira preta em relação à tomada de medidas para contenção do novo coronavírus (Covid-19) surpreendeu o prefeito Dalmy Crisóstomo (DEM). Isso porque, desde o início da pandemia, a cidade registrou apenas 2 casos positivos da doença –um deles em óbito– e que não teriam sido infectados na cidade. A taxa de incidência é de 37,4 casos por 100 mil habitantes, a 9ª mais baixa do Estado.

Ao Jornal Midiamax, Dalmy informou que já solicitou à equipe contato com a Secretaria de Estado de Saúde a fim de que o ranqueamento da cidade dentro do programa Prosseguir seja revisto. “É uma informação errada porque, na realidade, tivemos apenas um caso e no início da pandemia: um rapaz repatriado da Irlanda que já veio [infectado] e tomou os cuidados”, disse.

O segundo caso, que resultou no óbito, seria a de um idoso que passou por cirurgia para amputação de dedos e teria contraído a doença no hospital, destacou o prefeito. “Foram apenas esses, não tem motivo para estar em bandeira preta. Ficamos 60 dias sem registrar casos se não fosse esse último”, afirmou.

Ainda conforme o prefeito, foram adotadas diferentes medidas para conter a Covid-19 na cidade, o que justificaria o baixo grau de infecção. “Estamos com mais de 100 dias com barreiras sanitárias concentradas nas duas entradas da cidade. Além disso, vimos seguindo todas as orientações da Secretaria de Saúde do Estado. Seguimos com decreto e toque de recolher a partir das 21h, entre outras medidas”.

Alcinópolis integra a microrregião de Coxim, mas também tem Costa Rica entre seus polos de urgência e emergência para coronavírus. O município conta com uma unidade mista de Saúde que funciona em regime de 24 horas.

Governo do Estado afirma que dados do Prosseguir são fornecidos por prefeituras

Questionada, a assessoria do Governo do Estado informou que o mapa de referência para o Prosseguir é elaborado com dados fornecidos pelas próprias prefeituras. “Com a atualização das informações, muitos municípios poderão mudar o seu enquadramento no mapa”, destacou, em nota, frisando que a Secretaria Estadual de Saúde “está à disposição das prefeituras para o alinhamento dos indicadores”, destacando a importância da atualização.

Além de Alcinópolis, Campo Grande, Corguinho, Maracaju, Nioaque e Sidrolândia foram incluídas na lista de grau extremo de risco de coronavírus, na qual a SES recomenda medidas mais extremas para o enfrentamento da pandemia –como o lockdown. A maioria dos municípios do Estado (59) estão em bandeira vermelha, que aponta grau alto de contaminação; e 14 estão em grau médio (laranja).

No Prosseguir, são instituídas bandeiras de referência que classificam os riscos de atividades comerciais, a partir de indicadores de Saúde, dentro do contexto da pandemia. Os indicadores apontam a possibilidade de flexibilização ou arrocho das regras de isolamento social contra a Covid-19. As medidas são fixadas como grau baixo (verde), tolerável (amarelo) médio (laranja), alto (vermelho) e extremo (preto), este último sugerindo medidas como o lockdown –fechamento total de atividades não-essenciais.

Jornal Midiamax