Cotidiano

Policial civil é primeira morte por coronavírus em Ponta Porã, na fronteira com Paraguai

O policial civil Waldir Rojas, de 52 anos é a primeira vítima de coronavírus em Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul que faz fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Ele estava internado há duas semanas e faleceu na noite desta quinta-feira (11), segundo informações do secretário municipal de Saúde, Patrck Derzi. O […]

Marcos Morandi Publicado em 11/06/2020, às 21h49 - Atualizado em 12/06/2020, às 10h47

Waldir estava internado há duas semanas. (Foto: Redes Sociais).
Waldir estava internado há duas semanas. (Foto: Redes Sociais). - Waldir estava internado há duas semanas. (Foto: Redes Sociais).

O policial civil Waldir Rojas, de 52 anos é a primeira vítima de coronavírus em Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul que faz fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Ele estava internado há duas semanas e faleceu na noite desta quinta-feira (11), segundo informações do secretário municipal de Saúde, Patrck Derzi. O Estado chegou a 27° morte pela doença, horas depois da Secretaria de Saúde de Sidrolândia, confirmar também a 1° morte no município.

Waldir prestava serviços na Segunda Delegacia de Ponta Porã e faleceu na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Regional de José de Simone, em Ponta Porã. O policial tinha sido afastado das funções assim que apresentou os primeiros sintomas e com o agravamento do quadro de saúde precisou ser internado e depois entubado.

De acordo com informações de familiares o quadro dele teve uma piora considerável nos últimos dois dias e ontem ele chegou a sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e não conseguiu se recuperar.

Segundo informou a nota da PCMS (Polícia Civil de Mato Grosso do Sul), o policial havia entrado com pedido de aposentadoria pouco antes de descobrir a doença. Pouco tempo depois, a aposentadoria do servidor foi publicada no Diário Oficial, mas o oficial não acabou sabendo da notícia, pois já estava internado. Ainda conforme a nota, não há informações sobre o sepultamento do policial, já que as determinações é para que se evite velórios.

Desde que Waldir foi diagnosticado com coronavírus, a 2° Delegacia de Polícia foi interditado e passou por desinfecção e todos os policiais que tiveram contato com ele foram colocados em quarentena e passaram por teste para covid-19.

Com 49 casos confirmados no município, o prefeito Hélio Peluffo (PSDB) programou uma coletiva para dar mais esclarecimentos sobre o situação de pandemia no município e também sobre a primeira vítima fatal na cidade.

Leia na íntegra a nota de falecimento da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul:

“É com pesar que a Polícia Civil informa o falecimento do investigador de polícia Waldir Rojas. O policial tinha 52 anos, histórico de pressão alta e havia sido diagnosticado com a covid-19. Internado desde o final de maio, Waldir não resistiu à doença e faleceu por volta das 20h30 desta quinta-feira (11) na UTI de Ponta Porã.

Waldir Rojas estava lotado na 2ª Delegacia de Polícia de Ponta Porã, mas já havia dado entrada no pedido de aposentadoria quando descobriu a doença. O diário oficial publicou sua aposentadoria quando Waldir já estava internado.

Ainda não há informações sobre o sepultamento, porém, em decorrência da pandemia do novo coranavirus e da conformação de que esta foi a causa da morte, as informações preliminares dão conta de que provavelmente não será possível a realização de velório.

A Polícia Civil está de luto e presta sentimentos de pesar aos familiares e amigos do investigador”.

Jornal Midiamax