Cotidiano

Pecuarista de MS que deixou rebanho morrendo de fome já havia sido notificado pela Iagro

O pecuarista de 64 anos multado nesta quinta-feira (12) pela PMA (Polícia Militar Ambiental), por deixar 236 cabeças de gado sem alimento em uma fazenda no município de Coxim, já havia sido notificado. De acordo com Daniel Ingold, diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul), o […]

Renan Nucci Publicado em 13/11/2020, às 15h13 - Atualizado às 22h16

25 animais morreram na propriedade. Foto: Divulgação
25 animais morreram na propriedade. Foto: Divulgação - 25 animais morreram na propriedade. Foto: Divulgação

O pecuarista de 64 anos multado nesta quinta-feira (12) pela PMA (Polícia Militar Ambiental), por deixar 236 cabeças de gado sem alimento em uma fazenda no município de Coxim, já havia sido notificado. De acordo com Daniel Ingold, diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul), o produtor já havia sido notificado verbalmente várias vezes.

Após a autuação, ele terá que fornecer alimento aos animais que foram apreendidos, mas continuam sob responsabilidade dele. O homem foi autuado por maus-tratos e responde por crime ambiental, além de ter que pagar multa de R$ 118 mil. No entanto, caso não providencie tratamento adequado aos animais, será multado novamente, já que continuará sendo alvo de fiscalização regular.

Conforme noticiado, fazenda está localizada às margens da estrada Transpantaneira, a 253 quilômetros de Campo Grande. Por conta dos maus-tratos, 25 animais morreram e os demais estavam bastante debilitados. Segundo nota, após denúncia, a equipe foi ao local e se deparou com a pastagem totalmente degradada, apresentando somente terra nua, sem nenhuma gramínea, motivo pelo qual o gado não conseguia se alimentar. 

Além disso, o produtor não providenciava nenhum tipo de razão. Assim, os animais começaram a morrer aos poucos. Muitos, apesar de vivos, estavam tão debilitados que mal conseguiam se levantar. O pecuarista é residente no interior de São Paulo.

Jornal Midiamax