Cotidiano

Pecuarista é multado em R$ 8,4 mil por degradação de matas ciliares e assoreamento de córrego

Um pecuarista de 65 anos, foi multado em R$ 8.428 por crime ambiental de degradação de APP (área de preservação permanente), pela PMA (Polícia Militar Ambiental) de Dourados. Na propriedade rural que fica em Deodápolis, a 260 quilômetros de Campo Grande, foram encontradas voçorocas de até 36 metros de comprimento. De acordo com a PMA, […]

Ana Paula Chuva Publicado em 19/01/2020, às 09h37

(Divulgação | PMA)
(Divulgação | PMA) - (Divulgação | PMA)

Um pecuarista de 65 anos, foi multado em R$ 8.428 por crime ambiental de degradação de APP (área de preservação permanente), pela PMA (Polícia Militar Ambiental) de Dourados. Na propriedade rural que fica em Deodápolis, a 260 quilômetros de Campo Grande, foram encontradas voçorocas de até 36 metros de comprimento.

De acordo com a PMA, as vistorias nas propriedades da região foram realizadas na tarde deste sábado. No local, que faz margem a área urbana, foram encontradas, além das erosões, outras degradações ambientais em APP.

Na local, o gado era mantido com acesso às matas ciliares de um córrego, que praticamente não existiam mais na extensão da fazenda, causando danos diretos ao curso d’água.

Aliada a passagem constante dos animais, a falta de conservação do solo contribuiu para os processos erosivos e o carregamento de sedimentos para o córrego, causando o assoreamento.

Conforme a PMA, na fazenda foram encontradas várias ravinas e duas voçorocas, uma delas com 36 metros de comprimento por 36 metros de largura.

O pecuarista, morador de Deodápolis, foi autuado administrativamente e multado em R$ 8.428,00. O autuado também responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente. A pena é de um a três anos de detenção.

As atividades foram paralisadas e ele deverá apresentar junto ao órgão Ambiental Estadual um PRADA (Plano de Recuperação de Área Degradada e Alterada).

Jornal Midiamax