Cotidiano

Paciente com Lúpus reclama de dificuldade em encontrar cloroquina em farmácias de Campo Grande

Uma moradora de Campo Grande, que trata de Lúpus, reclama que está tendo dificuldades em encontrar o medicamento hidroxicloroquina nas farmácias e drogarias da cidade, nos últimos dias. Por conta da pandemia do novo coronavírus, remédio estava sendo usado como tratamento para a Covid-19. A psicóloga Kamila Saravi Ferro Ely conta que trata de Lúpus, […]

Karina Campos Publicado em 25/06/2020, às 17h17 - Atualizado às 17h17

Paciente trata de doença há 3 anos. (Foto: Leitor Midiamax)
Paciente trata de doença há 3 anos. (Foto: Leitor Midiamax) - Paciente trata de doença há 3 anos. (Foto: Leitor Midiamax)

Uma moradora de Campo Grande, que trata de Lúpus, reclama que está tendo dificuldades em encontrar o medicamento hidroxicloroquina nas farmácias e drogarias da cidade, nos últimos dias. Por conta da pandemia do novo coronavírus, remédio estava sendo usado como tratamento para a Covid-19.

A psicóloga Kamila Saravi Ferro Ely conta que trata de Lúpus, uma doença autoimune, há cerca de três anos. Embora o uso da cloroquina não tenha eficácia comprovada cientificamente no tratamento de coronavírus, a paciente relata que o remédio “sumiu” das unidades.

“Tem mais de uma semana que entrei em contato com várias farmácias particulares, farmácias de bairro, de centro, e todo mundo fala que não tem. Uma atendente me informou que farmácias manipuladas estavam fazendo. Liguei em uma, faltava matéria-prima, liguei em outra e também não tinha”, disse.

Ainda segundo Kamila, além da dificuldade em encontrar locais que tenham hidroxicloroquina em estoque, antes da pandemia, comprava a medicação por em média de R$ 68 a R$ 88, porém, se assustou quando encontrou o mesmo remédio pelo triplo do que paga normalmente. Vale ressaltar que a falta deste medicamento para tratamento de Lúpus pode causar vários prejuízos aos pacientes. A doença que estava sendo controlada pode ser ativada, gerando danos nos rins, sistema nervoso, sangue, pele e articulações.

“Liguei em uma farmácia manipulada e estava R$ 300 a caixa com 30 cápsulas. A menina ainda brincou que a procura está sendo muita, dando a entender que por ter muita procura, aumentaram o preço. Consegui por uma indicação, outra (unidade) por R$ 170, ainda sim um absurdo, mas já estava há 4 dias sem tomar minha medicação. Depois do apelo que coloquei no Instagram, várias pessoas me ajudaram. Consegui encontrar, mas continuo na saga, porque daqui 30 dias será a mesma coisa”, lamenta.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax