Mundo

França proíbe uso de cloroquina para tratar pacientes com coronavírus

O governo francês proibiu hoje (27) o uso da hidroxicloroquina para tratar pacientes com coronavírus em hospitais. A decisão foi tomada depois que entidades responsáveis pela saúde pública no país se declararam contrários à utilização da substância. “Seja em consultas ou no hospital, esta molécula não deve ser prescrita para pacientes afetados pela Covid-19”, afirmou o […]

Matheus Maderal Publicado em 27/05/2020, às 12h47

(Ilustrativa)
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)

O governo francês proibiu hoje (27) o uso da hidroxicloroquina para tratar pacientes com coronavírus em hospitais. A decisão foi tomada depois que entidades responsáveis pela saúde pública no país se declararam contrários à utilização da substância.

“Seja em consultas ou no hospital, esta molécula não deve ser prescrita para pacientes afetados pela Covid-19”, afirmou o ministério da Saúde, após a publicação do decreto de proibição no Diário Oficial.

Desde o fim de março a hidroxicloroquina era utilizada, de maneira excepcional, nos hospitais franceses para tratar casos graves do novo coronavírus. O uso em testes clínicos continua autorizado.

O movimento vem na esteira do anúncio da Organização Mundial da Saúde (OMS), de que suspenderia os estudos da eficácia do medicamento contra a covid-19, citando estudos preliminares que apontam para aumento da mortalidade entre pacientes infectados tratados com a cloroquina.

O medicamento é utilizado para o tratamento de doenças como lúpus e malária e vem sendo amplamente defendido pelos presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo presidente americano, Donald Trump, para tratar casos leves de covid, mesmo sem embasamento científico.

Mais cedo, Bolsonaro anunciou a apoiadores reunidos em frente ao Palácio do Planalto que os EUA enviarão 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina para o Brasil. A declaração foi feita após a fala de um apoiador que informou ter vindo da Califórnia (EUA) e fazer elogios à gestão atual do governo no Brasil.

Jornal Midiamax