Onde a quarentena já acabou: afinal, o que está funcionando em Campo Grande?

Após 67 dias do decreto de situação de emergência no município de Campo Grande, devido a pandemia do novo coronavírus (covid-19), muitos setores voltaram a funcionar na Capital entre eles o comércio, igrejas e transporte coletivo urbano, todos com medidas de biossegurança para evitar o contágio. No dia 6 de abril o comércio teve a […]
| 25/05/2020
- 19:15
Onde a quarentena já acabou: afinal, o que está funcionando em Campo Grande?
(Foto: Leonardo de França/Midiamax) - (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

Após 67 dias do decreto de situação de emergência no município de Campo Grande, devido a pandemia do novo coronavírus (covid-19), muitos setores voltaram a funcionar na Capital entre eles o comércio, igrejas e transporte coletivo urbano, todos com medidas de biossegurança para evitar o contágio.

No dia 6 de abril o comércio teve a reabertura autorizada. Os estabelecimentos operam com controle de clientes, álcool 70% disponível e funcionários usando máscaras. Em meio a tantos decretos e flexibilizações, atualmente o horário de funcionamento é das 9h às 19h.

Lojas de material de construção, salões de beleza e cabeleireiros, consultórios médicos e outras atividades funcionam das 8h às 21h. O mesmo vale para conveniências, que só podem funcionar no serviço de entrega (delivery), estando proibido consumo no local.

Em todos os casos, devem ser seguidas recomendações de distanciamento social e contra aglomerações, que incluem quantidade máxima de pessoas (limitada a 30% da capacidade normal), espaço mínimo de 1,5 metro entre pessoas nas filas e fornecimento de sanitizantes como álcool em gel para os clientes, bem como limpeza frequente e higienização de máquinas de pagamento. Nas lojas de roupa, está proibido provar peças de vestuário.

Transporte: O transporte coletivo municipal opera com restrições, com a liberação de apenas 7 passageiros viajando em pé, além dos lugares sentados. O passe do estudante e o passe do idoso seguem bloqueados.

coronavírus, novo coronavírus, pandemia de Covid-19, Consórcio Guaicurus, transporte coletivo, Campo Grande, linhas reduzidas, Sexta-Feira Santa, Domingo de Páscoa
(Foto: PMCG/Divulgação)

Serviços de táxi e de transporte por aplicativo seguem autorizados, mas com recomendações para evitar o contágio pelo coronavírus ligadas à higienização de veículos e uso obrigatório de máscaras.

O serviço de mototáxi segue suspenso, com profissionais do setor autorizados a trabalharem com entregas. O transporte escolar, por vans, recebeu autorização para funcionar com fretamento.

A rodoviária de Campo Grande opera com restrições e apenas viagens entre municípios serão autorizadas.

Shoppings-centers e galerias comerciais: os quatro shoppings de Campo Grande e as galerias comerciais, seja no Centro ou nos bairros estão com as portas abertas. Para os shoppings, porém, há limitação de público a 40% da capacidade e restrição a algumas atividades –os cinemas, por exemplo, seguem fechados. Funcionários devem trabalhar com máscaras e luvas, além do horário de funcionamento restrito das 12h às 20h.

Templos e igrejas: Igrejas e templos religiosos foram autorizados a reabrirem as portas para os fiéis no dia 18 de abril. Atualmente os locais podem realizar cultos e reuniões com lotação máxima de 60% com espaçamento entre as cadeiras e uso obrigatório de máscaras.  Nesta segunda-feira (25) foi sancionada a lei que torna o setor serviço essencial.

Academias e estúdios: Autorizadas a abrir desde o dia 17 de abril, os locais devem seguir uma série de regras, que incluem reabertura gradual e, para atividades indoor, distância mínima entre alunos de 5 metros (um a cada 20 m²); com orientação para lotação máxima restrita a 30% da capacidade. Aulas coletivas e com contato físico devem ser evitadas, bem como o compartilhamento de itens como copos e toalhas. Os equipamentos devem ser higienizados após o uso e os instrutores devem usar luvas de látex.

Para as atividades externas, o horário de toque de recolher deve ser respeitado e a distância entre os alunos deve ser de 5 metros.

Feira Central, Camelódromo e Mercadão: A Feira Central restringiu o público a 30% do total nas barracas de alimentação, devendo ser oferecido álcool em gel e os frequentadores devem ter a temperatura medida (com indícios de febre, a entrada é proibida). Funcionários e estabelecimentos devem tomar precauções quanto ao contato com o público. As barracas devem passar por higienização constante e desinfecção diária.

Onde a quarentena já acabou: afinal, o que está funcionando em Campo Grande?
Feira Central passou por desinfecção no dia 23 de abril. (Leonardo de França | Midiamax)

As feiras livres voltaram a funcionar em 6 de abril, proibindo feirantes idosos, gestantes e lactantes e com sintomas de resfriado. Nesta semana, o consumo no local foi liberado, mas barracas, mesas e cadeiras devem estar a 3 metros de distância e as feiras devem oferecer pontos de higienização. Decreto estadual proíbe o anúncio verbal de preços.

O Mercadão Municipal se manteve aberto. Apesar de muitas bancas ficarem fechadas, o local vende itens essenciais –mas seguiu normas de distanciamento social.

O Camelódromo reabriu no dia 8 de abril em sistema de rodízio entre os boxes: apenas 140 dos 473 abrem por vez. As regras de higienização e sanitização também valem para o espaço, com permanência de até 30 clientes por vez. A entrada se dá pela Avenida Afonso Pena e a saída pela Rua 15 de Novembro.

Restaurantes: Estabelecimentos de alimentação receberam autorização para funcionar, mas adotando medidas de distanciamento entre os clientes que reduziram a 30% a capacidade máxima de cada um. Além disso, em um primeiro momento, havia sido autorizado o funcionamento apenas por meio de delivery ou retirada das mercadorias.

Locais que funcionaram no regime self-service tiveram de se adaptar, sendo proibido o acesso direto dos clientes aos alimentos –sendo instalada barreira física ou com os funcionários servindo as refeições.  No dia 8 de maio, a Prefeitura publicou um decreto que permite apresentações musicais na modalidade ‘voz e violão’ em bares e restaurantes.

Nos hotéis, o fechamento da rodoviária e as restrições de voos no Aeroporto Internacional ajudaram a derrubar a movimentação, mas havia autorização para continuarem abertos mediante medidas sanitárias.

Já as conveniências operaram por delivery ou venda de balcão, mas sem liberação de consumo no local. Elas devem, ainda, atender ao toque de recolher e fechar as portas as 22h.

Bancos e casas lotéricas: bancos funcionam com limite máximo de clientes proporcional aos pontos de atendimento interno, seja presencial ou eletrônico, sendo proibida aglomeração nas suas dependências e horários especiais, a Econômica por exemplo, está com atendimento das 10h às 14h e apenas para casos essenciais.

Onde a quarentena já acabou: afinal, o que está funcionando em Campo Grande?
Lotéricas disponibilizam álcool em gel e organizam espaçamento entre clientes. (Leonardo da França)

Além disso, os terminais com telas de toque devem ser higienizados com frequência e mantido distância entre funcionários e clientes. As lotéricas funcionam seguindo regras de distanciamento, com espaço de 1,5 metro entre pessoas nas filas e fornecimento de álcool em gel, bem como higienização constante.

Prefeitura:  Decreto publicado na sexta-feira (22) em edição extra do Diário Oficial de Campo Grande ampliou a jornada nas repartições públicas da Prefeitura da Capital, além de prever o retorno de parte das pessoas atualmente incluídas no sistema de ao expediente presencial. A medida abranda as restrições impostas para o enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19).

O expediente nas repartições públicas da Capital, entre 25 de maio e 9 de junho, ficou dividido em dois turnos: das 7h30 às 13h30 e das 13h30 às 19h30.

Empresas em geral e construção civil: devem operar respeitando regras de distanciamento social entre funcionários e clientes e permitir a higienização.

Educação: Nas escolas, o ensino presencial está vetado nas redes públicas e particular, mas o conteúdo vem sendo passado de forma virtual para grande parte dos estudantes. A Rede Municipal de Ensino e a Rede Estadual estenderam a suspensão das aulas presenciais até dia 30 de junho. A rede particular continua com as aulas na modalidade online, mas o setor tenta a retomada das atividades presenciais ao menos da educação infantil.

Clubes: os principais clubes de atividades sociais, recreativas e esportivas, foram autorizados a reabrir suas sedes para os sócios e convidados, desde que sigam as regras de biossegurança, controle de acesso, reforço da higienização e vedação de atividades recreativas. A lotação está limitada a 30% da capacidade e continuam proibidas atividades recreativas e competições esportivas, especialmente futebol.

Praças e parques continuam fechados e o toque de recolher – da 00h às 5h – foi prorrogado até o dia 30 de maio.

Veja também

Crânio e ossos humanos estavam ao lado de uma Escola Municipal

Últimas notícias