Cotidiano

No aguardo do MEC, faculdades particulares devem ficar sem aulas até meio de junho em MS

Após a portaria do MEC (Ministerio da Educação) publicada no dia 12 de maio, prorrogando a suspensão das aulas presenciais por mais 30 dias em razão da pandemia do coronavírus (covid-19), as faculdades particulares de Campo Grande devem seguir com as atividades a distância até a metade de junho. Inicialmente o cronograma de aulas online […]

Ana Paula Chuva Publicado em 03/06/2020, às 11h27 - Atualizado em 04/06/2020, às 08h48

(Ilustrativa | De arquivo | Marcos Ermínio)
(Ilustrativa | De arquivo | Marcos Ermínio) - (Ilustrativa | De arquivo | Marcos Ermínio)

Após a portaria do MEC (Ministerio da Educação) publicada no dia 12 de maio, prorrogando a suspensão das aulas presenciais por mais 30 dias em razão da pandemia do coronavírus (covid-19), as faculdades particulares de Campo Grande devem seguir com as atividades a distância até a metade de junho.

Inicialmente o cronograma de aulas online seria até o mês de maio, mas como anunciado anteriormente, prazo poderia ser prorrogado em razão da pandemia.Um despacho do ministro da Educação Abraham Weintraub, publicado no dia 29 de maio determina que as atividades feitas de forma remota sejam computadas para cumprimento da carga horária do ano letivo.

Com isso, em resposta ao Jornal Midiamax,a Unigran Capital informou que seguirá as determinações das autoridades sanitárias e municipais e por hora as aulas presenciais seguem suspensas até dia 14 de junho na instituição.

Caso haja uma mudança nas determinações, a faculdade informa ainda que as atividades presenciais devem ser retomadas de forma gradativa conforma orientação do CNE (Conselho Nacional de Educação).

Além disso, a Unigran informou que existe um plano de biossegurança elaborado pela Comissão de Biossegurança e aprovado pelo COE (Centro de Operações de Emergência) ambos da instituição.

Também mantendo o cronograma da suspensão está a Faculdade Facsul que informou a reportagem que deve manter a suspensão das atividades até que os órgãos competentes comuniquem alguma alteração nas determinações.

A instituição ressalta que está seguindo todos os protocolos exigidos e que um calendário online disponibilizado aos estudantes mantém as aulas online sendo ministradas pelos mesmos professores, nos horários habituais e com o mesmo conteúdo, com interação, chat e discussões.

A Faculdade Estácio de Sá informou que mantêm contato com os alunos e qualquer informação sobre o retorno das atividades ou não será repassado para os acadêmicos. Além disso, afirmou em nota que quando a volta das aulas presenciais for autorizada pelas autoridades municipais, a instituição adotará todas as medidas e protocolos de segurança, e a prioridade é contribuir de forma efetiva ao combate da propagação do vírus.

A instituição ressalta que disponibilizou, em poucos dias após o início da quarentena, uma alternativa para continuidade das aulas dos 300 mil alunos da modalidade presencial. Diferentemente da modalidade EaD que a faculdade já oferece, o novo modelo possibilita aulas transmitidas ao vivo pela internet, sendo ministradas pelos mesmos professores, nos horários habituais e com o mesmo conteúdo, com interação, chat e discussões.

A Uniderp e a Anhanguera de Campo Grande informam que o retorno das aulas presenciais está previsto para 15 de junho e que os professores estão ministrando online, no momento.

A instituição informa, ainda, que possível alteração na data de retorno prevista será comunicada com antecedência aos alunos e que a retomada será realizada dentro das medidas de prevenção, seguindo todos os cuidados necessários de segurança.

A reportagem entrou em contato também com a UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) aguarda retorno.

* Matéria atualizada dia 4/6/2020 às 8h45 para acréscimo de resposta. 

Jornal Midiamax