Cotidiano

Mulher trans denuncia discriminação após ser barrada em salão de beleza de Campo Grande

Bruna Vitória Bazan Crus, de 28 anos, procurou a polícia, na tarde desta sexta-feira (18), para denunciar caso de preconceito após ser barrada em um salão de beleza no Centro de Campo Grande. Mulher trans, a vítima conta que o local recusou o atendimento por ‘não atender gay’. Segundo o boletim de ocorrência, Bruna era […]

Karina Campos Publicado em 19/12/2020, às 10h56 - Atualizado em 20/12/2020, às 07h32

Bruna frequentava o local há três anos. (Foto: Leitor Midiamax)
Bruna frequentava o local há três anos. (Foto: Leitor Midiamax) - Bruna frequentava o local há três anos. (Foto: Leitor Midiamax)

Bruna Vitória Bazan Crus, de 28 anos, procurou a polícia, na tarde desta sexta-feira (18), para denunciar caso de preconceito após ser barrada em um salão de beleza no Centro de Campo Grande. Mulher trans, a vítima conta que o local recusou o atendimento por ‘não atender gay’.

Segundo o boletim de ocorrência, Bruna era acostumada a fazer depilação e a sobrancelha com uma depiladora há 3 anos no local. Na tarde de ontem, marcou atendimento e aguardava, quando a gerente teria chamado ela em um local reservado dizendo que “não poderia mais atender pessoas assim, gay”.

Em seguida, a cliente respondeu que é uma mulher trans, mostrando a certidão de nascimento e o RG. “Foi um absurdo, fui descriminada. Ela disse que uma cliente questionou se no espaço estava atendendo homens, se referindo a mim, e se eu deitava na maca para realizar o procedimento, agindo como se eu tivesse uma doença contagiosa”, disse.

Mesmo mostrando os documentos, a gerente teria repetido que o local não iria atendê-la e fazer a distinção de gênero. “Não posso simplesmente achar esse ato normal e aceitar. Nós mulheres trans apenas precisamos de respeito”, lamentou.

A reportagem entrou em contato com o salão, uma funcionária informou que não irão comentar o assunto e que o caso já está sendo tratado pelo advogado da empresa.

Jornal Midiamax