Cotidiano

MS soma 74,5 mil confirmações e mais 16 mortes por coronavírus, aponta SES

Sobe para 74.567 mil o número de pessoas infectadas por coronavírus em Mato Grosso do Sul. O boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgado neste sábado (10), aponta que a taxa de letalidade aumentou em 13%, comparada a semana anterior. De acordo com o balanço, nas últimas 24 horas, o Estado registrou mais […]

Karina Campos Publicado em 10/10/2020, às 14h35 - Atualizado em 11/10/2020, às 08h50

De acordo com boletim do Lacen MS, o Estado ainda tem 88 mil testes de ouro. (Imagem Ilustrativa/IBGE)
De acordo com boletim do Lacen MS, o Estado ainda tem 88 mil testes de ouro. (Imagem Ilustrativa/IBGE) - De acordo com boletim do Lacen MS, o Estado ainda tem 88 mil testes de ouro. (Imagem Ilustrativa/IBGE)

Sobe para 74.567 mil o número de pessoas infectadas por coronavírus em Mato Grosso do Sul. O boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgado neste sábado (10), aponta que a taxa de letalidade aumentou em 13%, comparada a semana anterior.

De acordo com o balanço, nas últimas 24 horas, o Estado registrou mais 475 novos casos confirmados de Covid-19 e 16 mortes em decorrência da doença. A taxa móvel aumentou para 441 infectados por dia.

Campo Grande continua liderando o ranking estadual de município com mais registros, sendo o epicentro. Dos novos registros, 220 são na Capital. Em seguida, Dourados com +40; Corumbá + 48; Três Lagoas +33; e Sidrolândia +1. A média da semana foi de 3.091 novos casos, elevando a taxa de contaminação para 0,98.

MS soma 74,5 mil confirmações e mais 16 mortes por coronavírus, aponta SESDas novas mortes, 9 são da Capital, dois de Ponta Porã, e um em Nova Andradina, Dourados, Corumbá e Rio Verde do Mato Grosso. Somando o total de 1.425.

Permanecem em isolamento domiciliar 4.099 pacientes; 414 internados, sendo 219 em leitos clínicos e 196 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Além disso, os dados aponta que a maior faixa etária que registra positivo são adultos de 30 a 39 anos. (24%); em segundo vem os que tem entre 20 e 29 anos (18,9%) e depois a faixa que vai de 40 a 49 anos de idade (19,7%).

Ainda conforme SES, a tendência é que os casos aumentos por conta do feriado prolongado de Nossa Senhora Aparecida.

Jornal Midiamax