Cotidiano

MS dá parecer favorável e Médicos Sem Fronteiras poderão ajudar em aldeias indígenas

O Estado autorizou, nesta segunda-feira (24), a participação dos Médicos Sem Fronteiras no combate ao coronavírus em aldeias indígenas em Mato Grosso do Sul. O Governo Federal havia proibido os trabalhos voluntários da Ong (Organização Não Governamental). O ofício enviado pelo secretário Geraldo Resende, da SES (Secretaria Estadual de Saúde), deu parecer favorável ao plano […]

Karina Campos Publicado em 24/08/2020, às 16h09 - Atualizado em 25/08/2020, às 08h25

(Foto: Ilustrativa/Arquivo))
(Foto: Ilustrativa/Arquivo)) - (Foto: Ilustrativa/Arquivo))

O Estado autorizou, nesta segunda-feira (24), a participação dos Médicos Sem Fronteiras no combate ao coronavírus em aldeias indígenas em Mato Grosso do Sul. O Governo Federal havia proibido os trabalhos voluntários da Ong (Organização Não Governamental).

O ofício enviado pelo secretário Geraldo Resende, da SES (Secretaria Estadual de Saúde), deu parecer favorável ao plano de ação e cronograma da Ong para atuar em áreas do Estado, principalmente em Aquidauana, a 140 quilômetros de distância de Campo Grande, município que apresentou aumento de casos em aldeias.

A decisão justifica que a Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) apresentou documentação criteriosa com ações de cuidado com a população indígena, além de levar em consideração os cuidados para a entrada dos voluntários no local.

“A ajuda é necessária, por o polo de Aquidauana não é suficiente para cuidar de todas as aldeias. Quero agradecer a todos que ajudaram nessa articulação para o nosso povo”, disse o Cacique Nerio Leonice Kadoshi, da aldeia Limão Verde.

No último boletim epidemiológico do município, a doença já soma 1.177 casos confirmados, desses 559 pessoas positivas ativas e 36 óbitos, sendo 18 de indígenas mortos em decorrência do vírus.

Jornal Midiamax