Cotidiano

Morre Wanderley Guenka, ex-chefe de Saúde Indígena em MS, vítima da covid-19

Com quase três décadas de serviços prestados na Saúde Indígena de Mato Grosso do Sul, Wanderley Guenka estava internado há duas semanas.

Jones Mário Publicado em 30/12/2020, às 09h21 - Atualizado às 14h04

Wanderley Guenka, ex-chefe do Dsei Mato Grosso do Sul (Foto: Reprodução/Instagram)
Wanderley Guenka, ex-chefe do Dsei Mato Grosso do Sul (Foto: Reprodução/Instagram) - Wanderley Guenka, ex-chefe do Dsei Mato Grosso do Sul (Foto: Reprodução/Instagram)

Morreu no fim da noite de ontem (29), aos 63 anos, o odontólogo Wanderley Guenka. Ele estava internado em leito de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) no Proncor, em Campo Grande, após contrair covid-19. O hospital confirmou o falecimento.

Guenka estava hospitalizado no Proncor desde 16 de dezembro. O óbito foi constatado às 23h05 desta terça-feira.

Natural de Campo Grande, Wanderley Guenka exercia cargo comissionado no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos desde 2019, após quase três décadas dedicadas à Saúde em Mato Grosso do Sul, especialmente a indígena.

Odontólogo formado na Unesp (Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho), Guenka atuava no serviço público desde 1986, quando foi contratado pela Secretaria de Saúde de Rondônia. Um ano mais tarde foi admitido na Fundação SESP, atual Funasa (Fundação Nacional de Saúde), lotado na diretoria regional do Amazonas.

Nos anos 1990, Wanderley ocupou desde cargos na Comissão de Licitação até na equipe de Saúde Indígena da coordenação regional da Funasa de Mato Grosso do Sul.

Foi chefe do Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena) de Mato Grosso do Sul de 1999 a 2003, retornando para nova passagem no cargo entre 2005 e 2007. Entre elas, gerenciou o Programa de Controle das Doenças Não Transmissíveis da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande.

Depois, comandou o Desai (Departamento de Saúde Indígena da Fundação Nacional de Saúde) do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2010.

Ele voltou ao Dsei Mato Grosso do Sul mais tarde, para chefiar a Divisão de Atenção à Saúde Indígena em duas passagens – de 2014 a 2016, e de 2017 a 2018.

Em 2019, foi nomeado para o cargo de assessor do Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Pessoa Idosa da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, subordinada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Jornal Midiamax