Nem mesmo a pandemia conseguiu impedir centenas de caminhoneiros de Dourados de ir às ruas neste domingo (26) para homenagear São Cristóvão,  padroeiro dos motoristas e agricultores. A concentração teve início no Parque Antenor Martins, formando uma extensa fila e percorreu as principais ruas da cidade.

As atividades tiveram início às 7h30 com missa na Paróquia Santa Terezinha, sendo transmitida pelas redes sociais da igreja. Depois a carreata deixou o Parque por volta das 8h30, rumo à Paróquia, no Jardim Maracanã. Por conta da pandemia, todos usaram máscara e ninguém desceu dos veículos.

Essa é a 29ª edição da festa em Dourados, que tradicionalmente, após cruzar várias ruas da cidade, a festa se encerrava em confraternização com churrasco na paróquia. Desta vez, a igreja colocou lasanha à venda, para que os fiéis pudessem para as suas residências.

Segundo relatos históricos, a devoção à São Cristóvão é uma das mais antigas e populares da Igreja, tanto do Oriente como do Ocidente. Conforme relatos, Cristóvão, antes do batismo, chamava-se Réprobo, porém, depois, se chamou Cristóvão, que significa “aquele que carrega Cristo”.

São Cristóvão consta da relação dos “Catorze Santos Auxiliadores” invocados para interceder pelo povo nos momentos de aflições e dificuldades. Todavia,  são poucos os dados precisos sobre sua vida. Só se tem conhecimento comprovado de que Cristóvão era um homem alto e forte e que nasceu na Palestina, no século III, pregou na Lícia e foi martirizado a mando do imperador Décio, no ano 250.

Mesmo com pandemia, caminhoneiros de Dourados foram às ruas homenagear São Cristóvão
Imagem do santo em carro aberto. (Foto: Franz Mendes).