Cotidiano

Mesmo com ‘mini lockdown’, taxa de isolamento de Campo Grande sobe só para 43% no sábado

A taxa de isolamento de Campo Grande subiu para 43% no sábado (18), naquele que foi o primeiro dia das medidas restritivas adotadas pela Prefeitura Municipal para conter o avanço do coronavírus na cidade. As atividades consideradas não essenciais e o comércio permanecem fechado nos fins de semana. Os dados foram repassados neste domingo (19) […]

Vinícius Costa Publicado em 19/07/2020, às 14h35 - Atualizado às 15h25

Rua 14 de Julho, parte da obra prevista no (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax".
Rua 14 de Julho, parte da obra prevista no (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax". - Rua 14 de Julho, parte da obra prevista no (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax".

A taxa de isolamento de Campo Grande subiu para 43% no sábado (18), naquele que foi o primeiro dia das medidas restritivas adotadas pela Prefeitura Municipal para conter o avanço do coronavírus na cidade. As atividades consideradas não essenciais e o comércio permanecem fechado nos fins de semana.

Os dados foram repassados neste domingo (19) pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). De acordo com o levantamento realizado, até a última sexta-feira (17), Campo Grande estava com a taxa em 33% e bem abaixo do recomendado pelas autoridades, mas que teve um acréscimo com as medidas adotadas.

“Houve um acréscimo significativo, mas nós precisamos, no mínimo, atingir mais do que 60%”, disse o secretário Geraldo Resende durante a divulgação do boletim epidemiológico do covid-19.

O secretário reforçou que é preciso ter medidas mais eficazes para que as pessoas cumpram o isolamento social, que para Resende “é até o presente momento, é o único remédio que é eficaz contra o coronavírus”.

Casos confirmados

Dos 397 casos confirmados registrados pela SES nas últimas 24 horas, Campo Grande foi responsável por acrescentar 224 novos pacientes nas estatísticas. A capital sul-mato-grossense também disparou na distribuição dos casos e acumula 6.054 infectados.

A cidade também amarga a marca negativa ser líder no ranking de óbitos, que conforme a atualização do boletim epidemiológico, há 62 óbitos registrados, com a última vítima, um homem de 62 anos veio a falece no último sábado.

Jornal Midiamax