Cotidiano

Mãe denuncia uso de dados da filha com paralisia cerebral para saque de auxílio emergencial

Uma mãe levou um susto ao perceber os dados da filha, que sofre de paralisia cerebral, como beneficiada que teria sacado o auxílio emergencial, no município de Bela Vista, a 270 quilômetros de Campo Grande. A denuncia, enviada neste sábado (20), relata que a família não solicitou o benefício com o CPF (Cadastro de Pessoa […]

Karina Campos Publicado em 21/06/2020, às 08h03 - Atualizado em 14/07/2020, às 16h15

(Foto: ilustrativa)
(Foto: ilustrativa) - (Foto: ilustrativa)

Uma mãe levou um susto ao perceber os dados da filha, que sofre de paralisia cerebral, como beneficiada que teria sacado o auxílio emergencial, no município de Bela Vista, a 270 quilômetros de Campo Grande. A denuncia, enviada neste sábado (20), relata que a família não solicitou o benefício com o CPF (Cadastro de Pessoa Física) da jovem.

Conforme a mãe, Elessandra Rodrigues de Freitas, a família não havia feito o pedido com os dados da jovem. “Eu que respondo por ela, porque ela tem paralisia. Tentei entrar no portal, consta que o CPF já existe (já está cadastrado), e não entra. Eu solicitei com meu CPF. Ela não anda e nem fala”, disse.

Vale ressaltar que os dados são todos oficiais, e são mantidos pela Controladoria-Geral da União (CGU). O Ministério da Cidadania é responsável pela gestão e base de dados do programa assistencial criado por causa da pandemia do novo coronavírus, que causa Covid-19.

Seu nome está na lista, mas não solicitou o auxílio? Veja o que fazer para resolver.

Jornal Midiamax