Idosa de 84 anos é 93ª vítima fatal do coronavírus em MS e a primeira de Cassilândia

Vicentina das Dores Ponciano havia sido internada na Santa Casa da cidade em 18 de junho e faleceu nesta madrugada.
| 02/07/2020
- 20:14
Idosa de 84 anos é 93ª vítima fatal do coronavírus em MS e a primeira de Cassilândia
Vicentina estava internada na Santa Casa de Cassilândia. (Foto: Reprodução) - Vicentina estava internada na Santa Casa de Cassilândia. (Foto: Reprodução)

A Secretaria Municipal de Saúde de Cassilândia –a 418 km de Campo Grande– anunciou na tarde desta quinta-feira (2) o primeiro óbito causado pelo novo (Covid-19) no município, e o 93º de Mato Grosso do Sul. Trata-se de uma de 84 anos que estava internada desde 18 de junho.

As informações foram confirmadas à imprensa local pelo titular da Saúde cassilandense, José Lourenço Braga, com base em exame realizado pelo Lacen (Laboratório Central) em Campo Grande.

Vicentina das Dores Ponciano havia sido internada na Santa Casa de Cassilândia com suspeita de Covid-119, sendo mantida em isolamento. Na madrugada desta quinta, veio a óbito. Não foi informado se Dona Santa, como era conhecida na cidade, tinha comorbidades. Ela tinha familiares em Chapadão do Sul.

Cassilândia registrou até aqui 17 casos confirmados de coronavírus, com taxa de incidência de 77,5 infectados por 100 mil habitantes.

O óbito não consta no boletim da Secretaria de Estado de Saúde apresentado na manhã desta quinta, que havia contabilizado 9.062 casos positivos de coronavírus e 91 óbitos em Mato Grosso do Sul.

No início da tarde, foi anunciada a 92ª morte pela doença: Aparecido dos Santos Alexandre, coordenador municipal de Vigilância Epidemiológica e presidente do Conselho Municipal de Saúde de Douradina, estava internado no Hospital Evangélico de Dourados e faleceu durante a madrugada. Ele era um dos profissionais que atua na linha de frente da doença em Douradina, cidade com a segunda maior incidência de Covid-19 no Estado (1.856,9 casos por 100 mil habitantes, com 110 infecções confirmadas e, agora, 2 óbitos).

Aparecido trabalhava como Coordenador Municipal de Vigilância Epidemiológica e Presidente do Conselho Municipal de Saúde, além de integrar o Comitê Permanente de Enfrentamento à Covid-19 em Douradina. Como um dos profissionais na linha de frente do combate à doença, foi contaminado e após vários dias internado no Hospital Evangélico de Dourados, mas não resistiu.

Veja também

MPF propôs um acordo entre indígenas e fazendeiros, mas não teve sucesso

Últimas notícias