Cotidiano

IBGE: mulheres dedicam 10h semanais a mais que homens em atividades de casa

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta quinta-feira (4) uma pesquisa onde ressalta que a alta em realizar afazeres domésticos é do público feminino, que dedica cerca de 10,4 horas semanais a mais que os homens em atividades e casa. No ano passado, a população a partir dos 14 anos ou mais, […]

Karina Campos Publicado em 04/06/2020, às 14h19

(Foto: Ilustrativa/ Foto Shutterstock)
(Foto: Ilustrativa/ Foto Shutterstock) - (Foto: Ilustrativa/ Foto Shutterstock)

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta quinta-feira (4) uma pesquisa onde ressalta que a alta em realizar afazeres domésticos é do público feminino, que dedica cerca de 10,4 horas semanais a mais que os homens em atividades e casa.

No ano passado, a população a partir dos 14 anos ou mais, dedicava em média cerca de 16,8 horas semanais aos afazeres domésticos ou a cuidados pessoais, sendo destes, 21,4 horas para as mulheres e 11 horas para os homens. Para se ter uma ideia, entre 2016 a 2019, essa diferença de horários aumentou de 9,9 para 10,4 horas por semana.

IBGE: mulheres dedicam 10h semanais a mais que homens em atividades de casaA pesquisa abordou 146,7 milhões de pessoas entre a partir dos 14 anos, sendo então, 92,1% equivalente a mulheres que se dedicavam a casa, para 78,6% do público masculino. O Nordeste apresentou a maior diferença entre as taxas de realização de afazeres domésticos por sexo , apresentando 21,0 pontos percentuais a mais para as mulheres, e o Sul, a menor para 9,6 pontos a mais para elas.

Além disso, o balanço apontou que realização de afazeres domésticos é mais alta entre homens com formação superior completa, (85,7%, e menor entre aqueles sem instrução ou com o ensino fundamental incompleto, 74,1%. Dos 54,1 milhões de pessoas de 14 anos ou mais de idade, cuidaram de moradores no domicílio ou de parentes não moradores, com uma taxa de realização de 31,6%, sendo 36,8% para as mulheres e 25,9% para os homens. Os principais destinatários desses cuidados foram crianças de de 0 a 5 anos, 49,2%, e de 6 a 14 anos, 52,0%.

Jovens e adolescente têm a menor contribuição em casa

A taxa de realização de afazeres domésticos também variou conforme os grupos de idade. A participação dos jovens e adolescentes de 14 a 24 anos é a menor, sendo de 76,9%, e a dos adultos de 25 a 49 anos, a maior, 89,2%. Essa tendência se mantém para ambos os sexos: a menor taxa era a dos homens de 14 a 24 anos, 67,8%, e a maior, a das mulheres de 25 a 49 anos 95,5%.

Pequenos reparos é a única atividade que os homens realizam mais que as mulheres

Já nas atividades ligadas à alimentação, limpeza de roupas e sapatos e arrumação do domicílio ainda estavam muito concentradas nas mulheres, enquanto a realização de pequenos reparos no domicílio foi a única atividade em que o percentual de realização dos homens foi de 58,1% foi maior que o das mulheres, 30,6%.

Na própria casa, a atividade com a maior taxa de participação foi preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar a louça, seguida pela limpeza ou arrumação do domicílio e arredores, pelas compras ou pesquisa de preços e pela limpeza ou manutenção de roupas e sapatos. A atividade na qual o percentual era menor foi a realização de pequenos reparos ou manutenção do domicílio, automóvel etc., seguida pelo cuidado de animais domésticos.

Mulheres que trabalham fora de casa também se desdobram em casa

Os dados apontam que as mulheres sem ocupação fora do domicílio dedicaram, em média, 24 horas semanais a esses afazeres, enquanto os homens não ocupados dedicaram a metade desse tempo (12,1 horas semanais). Já as mulheres ocupadas dedicaram em média 8,1 horas a mais aos afazeres ou cuidados em casa que os homens ocupados.

Jornal Midiamax