Cotidiano

Guia rápido: dicas para manter rotina de estudos para Enem durante pandemia

As inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020 começa na segunda-feira (11). Mesmo durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), professores afirmam que dá para se concentrar e tirar bons resultados de estudos no isolamento social. Confira dicas para manter a rotina de estudos para conquistar uma vaga no vestibular. Conforme o […]

Karina Campos Publicado em 10/05/2020, às 16h45 - Atualizado em 11/05/2020, às 13h56

(Foto: Leitor Midiamax)
(Foto: Leitor Midiamax) - (Foto: Leitor Midiamax)

As inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020 começa na segunda-feira (11). Mesmo durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), professores afirmam que dá para se concentrar e tirar bons resultados de estudos no isolamento social. Confira dicas para manter a rotina de estudos para conquistar uma vaga no vestibular.

Conforme o professor do Cursinho Refferencial, Edilson Soares da Silveira, o aluno pré vestibulando precisa manter uma rotina diária de estudos como se estivesse em aula presencial. A principal dica é ter horário fixo para estudar resumos, realizar exercícios, elaborar à risca um cronograma de atividades.

Crie rotina fixa

“Ter horário correto para: acordar, iniciar estudos teóricos, iniciar resolução de exercícios, intervalo para descansos, momento de exercícios físicos e horário de término. Momento da leitura de obras, bem como, café da manhã, almoço e jantar. O aluno deve acordar, se arrumar como se estivesse indo para escola. Cuidar da sua saúde mental também, é extremamente importante”, comenta Silveira.

Mantenha a leitura em dia

Segundo o professor do cursinho Dom Bosco, Fernando Padoin Barney, o palavra-chave é ter disciplina. Por vezes, ficar no conforto de casa, pode deixar os estudos para depois e mais preguiçoso. O ideal é organizar uma rotina de estudos, mantendo as leituras obrigatórias em dia, além de ampliar o repertório cultural com filmes, documentários e até mesmo séries.

“Estamos numa situação adversa, o vestibulando que conseguir se organizar da melhor forma vai estar muito a frente do seu concorrente. O aluno que lê muito e tem curiosidade de assistir documentários e etc, tem poder de argumentação melhor, pois ajuda interpretar texto, não só de português, mas matemática, biologia, e etc. O vestibulando deve aproveitar o tempo que está em casa e a tecnologia a seu favor, que no atual cenário, ele deve continuar, mas de forma remota”.

Forme grupos à distância

Durante o isolamento social, o ideal é compartilhar informações com colegas e amigos. Os professores explicam que os vestibulandos podem criar grupos de estudos online através de ferramentas como Facebook, WhatsApp e plataformas de vídeo. É importante o acompanhamento de um ou mais professores, para ajudar a sanar dúvidas.

“Assim como grupo na sala de aula, podemos fazer grupos à distância. Mas tem que ter organização, por exemplo, qual tema debater? O aluno sente falta de estar junto, mas ter grupos online supre, de uma certa forma, o problema do distanciamento de colegas e amigos. É uma ferramenta positiva para o aluno”, explica Barney.

Adeus videoaulas cansativas

Outra ferramenta aliada são as videoaulas, porém, os professores alertam para as aulas “Fakes”. O vestibulando deve ficar atento as fontes confiáveis e sistemas de ensino consolidado. Não veja qualquer vídeo que apareça no Youtube, alertam.

“As videoaulas não podem ser extensas, pois não prendem a atenção dos alunos por muito tempo. Devem ser breves, quando possível. No caso de vídeos de longa duração, o ideal é o aluno pausar o mesmo, caminhar um pouco, mudar de ambiente por alguns minutos para que, logo em seguida, retome de onde parou. Devem assistir os videoaulas que suprem suas necessidades. O mesmo deve encontrar um tipo de videoaula que mais lhe agrade e prenda sua atenção e anotar todas as informações pertinentes dos conteúdos de interesse”.

Mantenha a saúde mental equilibrada

A estudante Thayse Caroline de Matos Henrique, 19, pretende prestar seis vestibulares neste ano, incluindo medicina. Ela conta que no início, foi difícil assimilar uma nova rotina, pois já fazia cursinho presencial há 3 anos. Ela teve que providenciar um cantinho confortável em casa para conseguir focar nos livros. A pressão pode pesar, se necessário, procure um especialista da psicologia para cuidar da saúde mental.

“Estabeleço metas diárias para cumprir, para então poder ter meu momento de lazer. E que se eu não as cumpro passo a refletir o peso que elas irão me trazer. Assim como qualquer ser humano, todos possuem seus ‘altos e baixos’, não vou mentir, já tive meus ‘baixos’ nesta quarentena, em que o desânimo e o desespero bate. O cursinho fornece o auxilio e consulta com a psicóloga da instituição. Quando eu fico mal, marco um aconselhamento com ela. Assim eu consigo conciliar melhor meus estudos e proteger minha saúde mental”, finaliza a estudante.

Jornal Midiamax