Cotidiano

Fundadores de Missão Indígena estão entre mortos com suspeita de coronavírus em Aquidauana

O casal Paulo Simplício Francisco e Loide Basílio Francisco faleceram na noite de terça-feira (21) com sintomas de coronavírus em Aquidauana. Os dois morreram com poucas horas de diferença e estão entre os cinco indígenas que morreram com suspeita de coronavírus em Aquidauana nas últimas 24 horas – até agora, só um caso foi confirmado.  […]

Mylena Rocha Publicado em 22/07/2020, às 12h49 - Atualizado às 13h02

Pastor e esposa faleceram com poucas horas de diferença. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Pastor e esposa faleceram com poucas horas de diferença. (Foto: Reprodução/Redes Sociais) - Pastor e esposa faleceram com poucas horas de diferença. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O casal Paulo Simplício Francisco e Loide Basílio Francisco faleceram na noite de terça-feira (21) com sintomas de coronavírus em Aquidauana. Os dois morreram com poucas horas de diferença e estão entre os cinco indígenas que morreram com suspeita de coronavírus em Aquidauana nas últimas 24 horas – até agora, só um caso foi confirmado. 

Segundo informações de pessoas próximas, Loide foi internada na sexta-feira passada (17) com sintomas de coronavírus. Já o pastor Paulo ficou em isolamento em casa na aldeia, também com sintomas. Loide morreu no hospital e o esposo Paulo faleceu poucas horas depois, em casa.

“Ela foi internada com todos os sintomas e é provável que isso tenha afetado o marido. Ele faleceu por um profundo sentimento da perda da esposa, ele tinha diabetes, já estava debilitado”, conta o pastor Jader Jorge de Oliveira.

O casal deixa um legado de fé na aldeia Bananal. Pastor Paulo foi um dos principais pastores da Missão Uniedas e fundou a igreja na aldeia Bananal há mais de 30 anos. “Ele sempre foi voluntário, como qualquer pastor de nossa comunidade. Era um músico, tecladista, tocava acordeon, ajudou na formação dos nossos jovens e sempre manteve a sua fé. Conseguiu dar sua formação para seus cinco filhos”, diz o pastor Jader.

Segundo ele, o casal sempre foi um guia espiritual para a comunidade. “Sempre mantiveram postura de luta na comunidade, nas reuniões, sempre dando a palavra de Deus”.

Morte de indígena de 35 anos

Ainda na manhã desta quarta-feira (22), foi confirmada a morte de um paciente de 35 anosque estava com coronavírus. O paciente era morador da aldeia Lagoinha e estava internado no Hospital Regional de Aquidauana há três dias. Ele estava entubado, não resistiu e morreu na madrugada desta quarta-feira (22).

Os casos de coronavírus têm se multiplicado nos últimos dias. Somente entre segunda (20) e terça-feira (21), houve um aumento de 72% no total de pacientes infectados em Aquidauana. A primeira morte foi registrada foi de um jovem de 27 anos que cursava Engenharia Florestal na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) de Aquidauana. A segunda morte foi de uma moradora de uma aldeia, um indígena de 40 anos, há menos de uma semana.

Jornal Midiamax