Cotidiano

Em um dia, 25 testam positivo e sobem para 430 os casos de coronavírus em MS

Boletim divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) nesta quarta-feira (13) aponta que Mato Grosso do Sul totalizou, às 10h desta manhã, 430 casos confirmados  – 25 a mais em relação aos dados fechados na terça-feira (12), com média de 20 casos ao dia. Secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende disse ser preocupante a […]

Evelin Cáceres Publicado em 13/05/2020, às 11h04 - Atualizado às 12h23

None

Boletim divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) nesta quarta-feira (13) aponta que Mato Grosso do Sul totalizou, às 10h desta manhã, 430 casos confirmados  – 25 a mais em relação aos dados fechados na terça-feira (12), com média de 20 casos ao dia. Secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende disse ser preocupante a quantidade de casos novos em 24h que se tem detectado no Estado e ressaltou a importância de ficar em casa sempre que possível.

Secretária-adjunta de Saúde, Christinne Maymone relatou que são 4137 casos notificados, dos quais 3620 foram descartados após testagem e 21 excluídos por não apresentarem sintomas do novo coronavírus. Há, além dos 430 casos confirmados, 66 casos sob investigação e 13 mortes.

Dos 25 casos confirmados, 22 devem permanecer em isolamento domiciliar e três estão internados. Nesta quarta também foi confirmada a morte de um homem de Brasilândia, que participou de uma festa familiar no último feriado do dia 1º de maio, prática não recomendada pelo Ministério da Saúde.

Os casos confirmados desta quarta são 7 de Guia Lopes da Laguna, 4 de Três Lagoas, 3 de Campo Grande, 2 de Dourados, 2 de Jardim, 2 de Bonito, 2 de Brasilândia e 1 em Tacuru, 1 em Ponta Porã e 1 em Amambai.

Mesmo que Mato Grosso do Sul seja o Estado brasileiro com menor incidência de casos, é preciso seguir atento, mantendo distância social, lavando as mãos constantemente e usando máscaras nas ruas. Sempre que possível, é preferível ficar em casa porque cerca de 60% dos portadores do Covid-19 não tem nenhum sintoma, mas podem contaminar outras pessoas, principalmente idosos, complicando a saúde dos mais vulneráveis, que podem chegar a óbito após serem contaminados.

Jornal Midiamax