Cotidiano

Em Natal na pandemia, decoração sai das ruas e domina as casas dos campo-grandenses

Tradicional no período de festas, a decoração natalina da Capital parece estar mais tímida este ano. Mesmo com ruas e casas pouco decoradas externamente, as empresas que comercializam itens natalinos afirmam um crescimento nas vendas em 2020, mas afinal, onde está essa decoração? A reportagem do Jornal Midiamax visitou o centro de Campo Grande para […]

Ranziel Oliveira Publicado em 13/12/2020, às 07h03

Decoração em uma conveniência na rua Euclides da Cunha (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)
Decoração em uma conveniência na rua Euclides da Cunha (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax) - Decoração em uma conveniência na rua Euclides da Cunha (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)

Tradicional no período de festas, a decoração natalina da Capital parece estar mais tímida este ano. Mesmo com ruas e casas pouco decoradas externamente, as empresas que comercializam itens natalinos afirmam um crescimento nas vendas em 2020, mas afinal, onde está essa decoração? A reportagem do Jornal Midiamax visitou o centro de Campo Grande para entender essa situação.

Conforme o gerente de uma loja de utilidades na rua Afonso Pena, os produtos natalinos já estão acabando. “Superou as vendas do ano passado e não estamos achando nem para repor o estoque”, afirmou Pedro Magalhães, de 42 anos.

Em Natal na pandemia, decoração sai das ruas e domina as casas dos campo-grandenses
Itens populares são os mais procurados ( Foto: Leonardo de França / Jornal Midiamax)

O gerente descreve que o perfil do consumidor não é mais o mesmo, 90% do público corresponde a pessoas físicas enquanto apenas 10% são empresas. “A população compra itens menores, árvores, pisca pisca e enfeites, mais para dentro de casa. Já as empresas as grandes decorações e árvores maiores”, finalizou.

Na rua 14 de julho, o proprietário de uma loja decorações também relata mudança de comportamento dos clientes. “O consumidor normal aumento bastante, algumas mercadorias já acabaram, está sendo um dos melhores anos. As pessoas estão mais em casa, quem sempre viajava comprou decoração”, comentou Daniel Hisao.

Com tradição no ramo, o proprietário reforça que as decorações familiares como árvores e itens de decoração aumentaram em 40%, já as grandes decorações empresarias passaram por uma queda significativa. “De 100 empresas somente 30% compraram, por conta da pandemia, muitas usaram do ano passado”, explicou.

Em outro ponto da Afonso Pena, o gerente de uma loja de artigos domésticos afirma que as vendas estão superando as expectativas. “Já fizemos até reposição de emergência e já está acabando”, detalhou Rodrigo da silva, de 35 anos.

Com mais pessoas em casa, o gestor percebe um aumento no investimento das famílias em decoração natalina, mas destaca a procura por itens mais populares como árvores e enfeites.

Para não esquecer o espírito natalino

Em Natal na pandemia, decoração sai das ruas e domina as casas dos campo-grandenses
Regina abraçando a filha no centro da foto (Foto: Leonardo de França / Jornal Midiamax)

Para a secretária, Regina Godoy, de 36 anos, o coronavírus atrapalhou os planos de reunir toda a família, mas a tradição natalina não pode ser esquecida, ela foi na loja com a irmã e as 3 filhas para não deixar a data passar em branco. “Papai Noel tem quem passar pra ela [a filha] por a cartinha. Ela acredita, então a gente tem que fazer”, explicou.

Com todas as exigências de biossegurança, Regina que sempre participava de uma grande reunião de família, pretende fazer um evento mais simples, somente com os mais próximos. “Vai ser só para os de casa, com uma árvore, pisca pisca e enfeites, para não deixar esse espírito natalino passar”, finalizou

Jornal Midiamax