Cotidiano

Boate famosa anuncia reabertura no sábado e causa polêmica em Campo Grande

“Amém, senhor”, comenta uma usuária do Instagram na postagem que anuncia a reabertura da Valley Campo Grande para o próximo sábado (13), a casa de shows mais tradicional da cidade. O anúncio, feito no último dia 5, movimentou as redes sociais e, claro, causou polêmica, já que a reabertura do local, considerado não-essencial, ocorre em […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 08/06/2020, às 09h53 - Atualizado às 16h42

Foto: André de Abreu | Reprodução
Foto: André de Abreu | Reprodução - Foto: André de Abreu | Reprodução

“Amém, senhor”, comenta uma usuária do Instagram na postagem que anuncia a reabertura da Valley Campo Grande para o próximo sábado (13), a casa de shows mais tradicional da cidade. O anúncio, feito no último dia 5, movimentou as redes sociais e, claro, causou polêmica, já que a reabertura do local, considerado não-essencial, ocorre em meio ao crescimento exponencial de casos de Covid-19 em MS.

A Valley Pub é apenas um dos bares de Campo Grande permitidos de funcionar durante a pandemia e que já movimentaram o último fim de semana, após uma série de medidas municipais que flexibilizaram restrições do comércio. As flexibilizações, porém, vão de encontro à recomendação das autoridades sanitárias: com números cada vez mais crescentes e 22 mortes confirmadas até esta manhã (8), a SES apela diariamente para que as pessoas não saiam de casa sem necessidade.

Conforme a publicação, a reabertura do local segue um protocolo de biossegurança e reformula o funcionamento da casa: agora em formato “bar”, o local atenderá no máximo 30% de sua capacidade, com funcionamento limitado das 17h às 23h30 e o acesso ocorrerá após aferição de temperatura. Haverá apenas uma dupla no palco, com show de voz e violão.

A postagem também traz que as regras de biossegurança adotadas incluem mesas com 2 metros de distância, funcionários com uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual, como máscaras), 30 dispositivos de álcool em gel espalhados pela casa, distanciamento de 1,5m na fila de entrada e saída, bem como na do banheiro, e bar com acesso restrito aos funcionários.

A polêmica mora nos próprios comentários da publicação oficial. Com usuários que comemoram a reabertura, há outro tanto – em menor quantidade – de pessoas que lamentam. “Quem mora com pais ou avós idosos, caso vá para festas, comece a fazer uma vaquinha para as despesas com funeral”, traz comentário de um usuário. “Quero ver manter tudo isso quando todo mundo estiver bêbado”, acrescenta outro. “Vai ser o sábado do corona em dobro”, ironiza mais uma usuária.

Vale lembrar que a casa de shows foi cenário de um dos momentos mais histéricos de Campo Grande durante a pandemia, em março, logo após uma jovem recém-infectada no Rio de Janeiro ir a um evento no local. Ela foi um dos primeiros casos confirmados da Covid-19 em Campo Grande, ainda naquele mês, e foi a uma festa na casa de shows.

Quando se espalhou a notícia de que o namorado deste jovem estava infectado, frequentadores do bar surtaram nas redes sociais ao fazerem a relação de que a jovem – provavelmente infectada – esteve no lugar numa noite de quinta-feira. Na ocasião, a empresa destacou que a jovem não tinha diagnóstico confirmado (o que ocorreu dias depois) e repudiou disseminação de fake news.

Os números da Covid-19 em Mato Grosso do Sul mostram uma franca curva de crescimento, com notificações que só aumentam. No domingo (7), a SES trouxe 121 novos casos, com total de casos oficiais em 2.253 – 388 em Campo Grande. O boletim também apontou que o perfil dos infectados é, em mais da metade, pessoas entre 20 e 39 anos.

Jornal Midiamax