Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontam que Corumbá –a 419 km de Campo Grande– registrou 77% de todos os focos de queimadas de Mato Grosso do Sul nas últimas 48 horas. Foram 126 queimadas no Pantanal, ante 164 registradas no Estado.

A média consegue ser superior à registrada desde o início do ano, que já registrou queimadas intensas. Foram 3.381 incêndios florestais no Estado desde janeiro, ante 2.231 registrados em Corumbá (65% do total), também conforme dados do Inpe.

Nesta terça-feira (21), uma força-tarefa composta pelo Corpo de Bombeiros e brigadistas do PrevFogo foi mobilizada para atuar nas regiões conhecidas como Itajiloma e Baía do Tuiuiú, nas quais focos de queimadas consomem a vegetação e levam fumaça para a área urbana de Corumbá –a pelo menos 10 km dos locais. Os focos foram descobertos graças a imagens de satélite, conforme o Diário Corumbaense.

Os locais também são de difícil acesso e, graças aos fortes ventos na região do Pantanal, as chamas se alastram rapidamente.

Mato Grosso do Sul tem sofrido com queimadas fora de época em 2020: a temporada de fogo, normalmente, ocorre a parir de junho (com o fim do outono e início do inverno, quando o tempo se torna mais seco no Estado). Contudo, desde março já há registros de focos de calor.