Cotidiano

Em 24h, MS registra 2.456 focos de queimadas, mais da metade em Corumbá

Segundo levantamento do Programa Queimadas, do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Mato Grosso do Sul registrou, nas últimas 24h, 2456 focos de queimadas. Destas, 1706 foram no município de Corumbá. Aquidauana ocupa a segunda posição no hanking, com 134 focos, seguida de Brasilândia, com 11 focos. De sábado (29) para domingo (30), a Capital […]

Danielle Errobidarte Publicado em 30/08/2020, às 09h01 - Atualizado às 15h30

Imagem Ilustrativa | Henrique Arakaki | Arquivo Midiamax
Imagem Ilustrativa | Henrique Arakaki | Arquivo Midiamax - Imagem Ilustrativa | Henrique Arakaki | Arquivo Midiamax

Segundo levantamento do Programa Queimadas, do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Mato Grosso do Sul registrou, nas últimas 24h, 2456 focos de queimadas. Destas, 1706 foram no município de Corumbá. Aquidauana ocupa a segunda posição no hanking, com 134 focos, seguida de Brasilândia, com 11 focos.

De sábado (29) para domingo (30), a Capital registrou 67 focos de incêndios, representando 2.7% do total. Ainda segundo o INPE, a cidade branca registrou 69.5% de todos os focos computados pelo Programa.

Até o final da semana, os termômetros marcam apenas temperaturas altíssimas, superiores a 40ºC em Corumbá. A baixa umidade do ar, que não ultrapassa os 20%, é um fator agravante para a propagação dos focos e das chamas, apesar da intensidade dos ventos ser considerada baixa, segundo o Inmet (Instuto Nacional de Meteorologia).

A cidade branca entrou na categoria vermelha de severidade para as temperaturas do Inmet, classificada como “grande perigo”. O aviso vale para as áreas sul e sudoeste, Pantanal, centro norte e leste de Mato Grosso do Sul.

O aviso publicado pelo Inmet começa a valer a partir do meio-dia deste domingo e informa: “umidade relativa do ar abaixo de 12%. Grande risco de incêndios florestais e à saúde, como doenças pulmonares e dores de cabeça”.

Jornal Midiamax