Cotidiano

Eleitor de 68 anos faz questão de votar, mas é barrado por problema de acessibilidade em MS

Um eleitor de 68 anos não conseguiu votar para as eleições municipais na manhã deste domingo (15) em Campo Grande. Com dificuldade de locomoção, ele precisaria estacionar próximo ao local da votação, porém foi impedido por uma barreira e terá que justificar o voto.  O eleitor é Noé de Oliveira, que sempre esteve comprometido com […]

Mylena Rocha Publicado em 15/11/2020, às 10h39 - Atualizado às 22h44

(Foto ilustrativa)
(Foto ilustrativa) - (Foto ilustrativa)

Um eleitor de 68 anos não conseguiu votar para as eleições municipais na manhã deste domingo (15) em Campo Grande. Com dificuldade de locomoção, ele precisaria estacionar próximo ao local da votação, porém foi impedido por uma barreira e terá que justificar o voto. 

O eleitor é Noé de Oliveira, que sempre esteve comprometido com a cidadania e nunca deixou de votar. Ele compareceu durante a manhã no local de votação, na universidade Anhanguera, na avenida Gury Marques. A esposa dele, Ângela Maria Mendes de Oliveira, explica que estacionou próximo à universidade e foi conversar com os guardas para explicar a situação e pedir que ele pudesse entrar com o carro no local para poder votar. 

“Chegamos lá às 7h20, fui conversar com o guarda. Meu marido teve poliomielite e tem dificuldades para andar, usa bengala. O guarda viu isso e permitiu a entrada. Fui até o carro e fiz o balão para ter acesso à rua [da universidade], mas aí vimos que tinha uns cavaletes na rua. O guarda de trânsito não nos deixou passar para estacionar próximo, não quis nos ouvir”, conta Ângela.

Como não conseguiu votar, o eleitor deve justificar o voto. “Ele não consegue andar três quarteirões, ele vota no último pavilhão da universidade. Ele pretende justificar, está muito consternado”, diz a esposa.

Fala Povo: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax