Cotidiano

Durante pandemia, violência contra a mulher cresce e subsecretaria desenvolve site para facilitar denúncias

Integrantes do CEDM-MS (Conselho Estadual de Direitos da Mulher) estão preocupadas com o crescente número de casos de feminicídio e de violência contra a mulher durante esse período de pandemia do coronavírus. Durante reunião por videoconferência, realizada no última quarta-feira (27), as integrantes debateram ações como, por exemplo, a realização de denúncias através de canais […]

Cleber Rabelo Publicado em 01/06/2020, às 18h05 - Atualizado em 02/06/2020, às 10h23

Reprodução, Agência Brasil
Reprodução, Agência Brasil - Reprodução, Agência Brasil
Integrantes do CEDM-MS (Conselho Estadual de Direitos da Mulher) estão preocupadas com o crescente número de casos de feminicídio e de violência contra a mulher durante esse período de pandemia do coronavírus.
Durante reunião por videoconferência, realizada no última quarta-feira (27), as integrantes debateram ações como, por exemplo, a realização de denúncias através de canais virtuais. As conselheiras falaram também sobre a Semana Estadual de Combate ao Feminicídio, que começou nesta segunda-feira (1°). O assunto será apresentado ao secretário estadual de justiça e segurança pública, Antônio Carlos Videira; ao delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas, e ao comandante geral da Polícia Militar, Marcos Paulo Gimenez.
“Nós, conselheiras, iremos falar com eles sobre o enfrentamento à violência contra a mulher. Além disso, também buscaremos parceria com a Secretaria Estadual de Educação, para divulgação dos canais de denúncia online, nas aulas escolares virtuais”, afirmou Mara Caseiro, presidente do CEDM-MS.
Conforme a delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Fernanda Felix, as restrições impostas para impedir a disseminação do coronavírus têm submetido muitas mulheres ‘a um verdadeiro cárcere privado’.
“Sabemos que devido à pandemia, as mulheres têm ficado mais tempo em casa com o agressor que, muitas vezes, perdeu o emprego e descarrega nela toda a frustração e raiva. Muitas dessas mulheres que sofrem agressão não estão conseguindo sair de casa e isso tem causado  a diminuição das denúncias”, afirmou a delegada.
Para a subsecretária de Estado de políticas públicas para mulheres, Luciana Azambuja, uma das formas de ajudar essas mulheres que não estão conseguindo sair de casa para fazer a denúncia, são os canais virtuais, como o site recém criado (www.naosecale.ms.gov.br) e o aplicativo para celular: MS Digital.
“Em razão da pandemia pelo novo coronavírus e das medidas de proteção adotadas pelo Governo do Estado, percebemos a ausência de um instrumento virtual que pudesse alcançar as mulheres em suas casas, de modo silencioso e eficaz nas informações, orientações e encaminhamentos. Desta forma, foi criado o site Não Se Cale e incluído nesse aplicativo MS Digital (disponível para Android e iOS), um canal de denúncia”, afirmou.
A coordenadora-geral da Casa da Mulher Brasileira em Campo Grande, Tai Loschi, ressaltou que caso a mulher esteja impossibilitada de comparecer presencialmente nas delegacias e na Casa da Mulher Brasileira, que está em plantão 24h, também pode fazer uma denúncia pelo telefone 190 ou pelo site: (www.devir.pc.ms.gov.br/denuncia).

Semana Estadual de Combate ao Feminicídio

Com início nesta segunda-feira (1°), a Semana Estadual de Combate ao Feminicídio promoverá diversas ações online para divulgar informações sobre direitos, legislações e serviços em prol das mulheres vítimas de violência.
Na terça-feira (2), será realizado o Workshop ‘Violência contra a mulher em tempos de pandemia’, pela Subsecretaria de Estado de Políticas Públicas para Mulheres, em parceria com o Poder Legislativo (Comissão Permanente de Direitos da Mulher e Combate à Violência Doméstica contra a Mulher e Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Mulher) e Poder Judiciário (Coordenadoria de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher).
Já na quarta-feira (3), a subsecretaria e a delegacia-geral da Polícia Civil realizam o workshop “A investigação dos feminicídios na perspectiva de gênero”, direcionada a policiais civis, com a participação da superintendente de gestão de riscos da Secretaria de Segurança Pública do Piauí, Eugenia Villa, responsável pela implantação do Plantão de Gênero e pelo aplicativo Salve Maria. Para saber mais ações da Semana Estadual de Combate ao Feminicídio, entre em contato com a Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, no telefone (67) 3316-9198 ou no site (www.secid.ms.gov.br).
* Alterada às 09h57 em 2/06/2020 para correção de informações
Jornal Midiamax