Cotidiano

Campo Grande teve 10 mil casos de dengue a menos em 2020 do que no ano passado

Os cinco primeiros meses de 2020 tiveram 43% nos casos de dengue comparados a 2019, uma diferença de 10.823 mil a menos, segundo dados divulgados pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) nesta quarta-feira (3). O levantamento feito do dia 1º de janeiro até 2 de junho mostra que foram 13.455 […]

Ana Paula Chuva Publicado em 03/06/2020, às 10h28 - Atualizado às 14h58

Imagem ilustrativa. (Foto: Divulgação/SES)
Imagem ilustrativa. (Foto: Divulgação/SES) - Imagem ilustrativa. (Foto: Divulgação/SES)

Os cinco primeiros meses de 2020 tiveram 43% nos casos de dengue comparados a 2019, uma diferença de 10.823 mil a menos, segundo dados divulgados pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) nesta quarta-feira (3).

O levantamento feito do dia 1º de janeiro até 2 de junho mostra que foram 13.455 notificações de dengue em Campo Grande, desses 8.220 tiveram diagnóstico confirmado.

No mesmo período em 2019 foram 35.540 notificações e 19.043 casos confirmados de dengue, uma redução de aproximadamente 43%. Já o número de óbitos foi 7 em 2020 e 8 no ano anterior.

Além disso, o levamento mostra também que até início de junho do ano passado, o município registrou 366 casos de zika e 182 de chikungunya. Já este ano, foram 101 casos de zika e 76 de chikungunya.

Confira o boletim completo, clicando em série histórica atualização 02/06/2020.

Situação de emergência

Vale lembrar que em fevereiro deste ano foi declarada situação de emergência em Campo Grande devido ao aumento no número de casos de dengue, sendo instituído um grupo intersetorial para execução do plano de enfrentamento a epidemia de dengue.

Foi criada a operação Mosquito Zero que realizou ações vistoriando 50 mil imóveis, eliminou 37 mil depósitos e 1,6 mil focos do Aedes aegypti.  Além disso 2 mil imóveis abandonados foram inspecionados e 10 mil quarteirões dos bairros da Capital já receberam a aplicação do fumacê.

A Prefeitura ressalta que em razão da pandemia do coronavírus (Covid-19), as atividades de campo precisaram ser reduzidas a partir de março, porém o trabalho continuou sendo executado em pontos considerados críticos.

Jornal Midiamax