Cotidiano

Covid-19: MS prepara ‘plano B’ caso Governo Federal demore iniciar vacinação

Com mais de 130 mil casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul e 2.270 mortes, o Governo do Estado já começa a preparar um ‘plano B’ para garantir a imunização da população contra a Covid-19. A SES (Secretaria Estadual de Saúde) já tem um “acordo” com o Instituto Butantan para garantir doses da vacina […]

Mariane Chianezi Publicado em 29/12/2020, às 14h23 - Atualizado às 14h30

O titular da SES, Geraldo Resende | Foto: Reprodução
O titular da SES, Geraldo Resende | Foto: Reprodução - O titular da SES, Geraldo Resende | Foto: Reprodução

Com mais de 130 mil casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul e 2.270 mortes, o Governo do Estado já começa a preparar um ‘plano B’ para garantir a imunização da população contra a Covid-19. A SES (Secretaria Estadual de Saúde) já tem um “acordo” com o Instituto Butantan para garantir doses da vacina para o Estado.

De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Resende, caso o plano de imunização do Governo Federal demore e outros estados da federação comece a imunizar os moradores, MS terá uma iniciativa para também começar a vacinar a população do grupo de risco.

“Estamos adiantados no processo de negociações com o Instituto Butantan e assinamos uma carta de intenção com o diretor do instituto. Nós não queremos que a população fique na espera da vacina se outras unidades da federação começarem a imunizar a sua gente. MS espera que o plano nacional, que é do Governo Federal e Ministério da Saúde, possa nos remeter todo o quantitativo de vacinas a partir do início da imunização no país”, disse.

Por fim, Resende afirmou que espera que o Ministério da Saúde garanta a imunização de toda a população e frisou que, enquanto a vacina não chega, os melhores meios para evitar a contaminação são as medidas de biossegurança. “Enquanto aguardamos a vacina chegar, os únicos remédios que temos em mãos para evitar a contaminação da nossa gente, é o isolamento social, ficar em casa, usar mascara, usar água e sabão e álcool em gel”, pontuou.

Confira o depoimento do secretário:

Mais de 130 mil casos e 2,2 mil mortes

Mato Grosso do Sul já soma 130.850 casos confirmados de Covid-19, com 1.366 novos registros nesta terça-feira (29). Foram registradas 25 novas mortes, conforme o boletim epidemiológico do novo coronavírus, apresentado diariamente pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Com os 25 novos óbitos, o total de vítimas fatais em MS chega a 2.270 mortes desde o início da pandemia. Os novos óbitos foram registrados em Campo Grande, Rio Brilhante, Chapadão do Sul, Ladário, Corumbá, Rio Verde de Mato Grosso, Dourados, Ponta Porã, Maracaju, Três Lagoas, Miranda, São Gabriel do Oeste, Bonito e Coxim. Somente na Capital, foram 11 mortes.

A SES também destacou que MS já contabiliza um total de 458.984 casos notificados, dos quais 319.815 foram descartados. Há 1.966 testes em análise no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) e 6.353 casos sem encerramento pelos municípios.

Os novos casos de hoje trazem Campo Grande à frente, com 306 novos casos, seguida por Dourados (261), Ponta Porã (89), Três Lagoas (59), Caarapó (46), Corumbá (38), Maracaju (28), Bonito (27), Iguatemi (26), Miranda (26), Paranaíba (25), entre outros.

De 130.850 casos confirmados em MS, 114.563 pacientes se recuperaram. Há 13.328 pacientes em isolamento domiciliar. Em relação às internações, MS tem 689 pacientes internados. Destes 371 estão em leitos clínicos (244 públicos e 127 privados) e 318 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), dos quais 222 estão em leitos públicos e 96 em privados.

A taxa de ocupação de leitos de UTI públicos global nas 4 macrorregiões de MS é de: 108% em Campo Grande, 78% em Dourados, 61% em Três Lagoas e 75% em Corumbá. A SES explica que os 8% acima da capacidade em Campo Grande representam pacientes em leitos de Covid ainda não habilitados pelo SUS, mantidos pelas secretarias municipais e estadual de saúde.

Jornal Midiamax