Cotidiano

Correios tem 70% dos funcionários em greve em 38 municípios de Mato Grosso do Sul

Na tarde desta quinta-feira (27), mais uma audiência de conciliação será mediada pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) para tentar acabar com a greve dos funcionários dos Correios em todo o país. Os funcionários entraram em greve no dia 17 de agosto. Em Mato Grosso do Sul, segundo a Findect-MS (Federação Interestadual dos Sindicatos dos […]

Gabriel Maymone Publicado em 27/08/2020, às 09h29 - Atualizado às 12h59

(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação) - (Imagem: Divulgação)

Na tarde desta quinta-feira (27), mais uma audiência de conciliação será mediada pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) para tentar acabar com a greve dos funcionários dos Correios em todo o país. Os funcionários entraram em greve no dia 17 de agosto.

Em Mato Grosso do Sul, segundo a Findect-MS (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios), há cerca de 70% da força de trabalho paralisada em 38 municípios do estado.

Greve

De um lado, os grevistas alegam que houve quebra do acordo coletivo feito com os funcionários, que teria vigência até 31 de julho de 2021. Conforme a federação, parte dos trabalhadores decidiu cruzar os braços em protesto contra a proposta de privatização da estatal e pela manutenção de benefícios trabalhistas. A categoria também reivindica mais atenção, por parte da empresa, quanto aos riscos que o novo coronavírus representa para os empregados.

De acordo com nota oficial dos Correios, a empresa tenta, desde o início de julho, negociar com as entidades representativas dos empregados os termos do ACT 2020-21. “Dando continuidade às ações de fortalecimento de suas finanças e consequente preservação de sua sustentabilidade, a empresa apresentou uma proposta que visa adequar os benefícios dos empregados à realidade do país e da estatal.”

A empresa afirma também que os vencimentos de todos os empregados seguem resguardados, e os trabalhadores continuam tendo acesso, por exemplo, ao benefício auxílio-creche e aos tíquetes refeição e alimentação, em quantidades referentes aos dias úteis no mês, de acordo com a jornada de cada trabalhador. Empregados das áreas de Distribuição/Coleta, Tratamento e Atendimento seguem com seus respectivos adicionais.

Nota

Sem informar números, o Correios informou que a adesão à greve é baixa e que “aguarda o retorno de parte dos trabalhadores que aderiram à paralisação parcial o quanto antes, cientes de sua responsabilidade para com a população, já que agora toda a questão terá seu desfecho na justiça”.

Os clientes podem entrar em contato pelos telefones 3003-0100 e 0800 725 0100 ou pelo endereço http://www.correios.com.br/fale-com-os-correios.

Jornal Midiamax