Cotidiano

Coronavírus muda rotina de fiéis em igrejas católicas de Campo Grande

Os cuidados pessoais em meio a pandemia do coronavírus já podem ser vistos também nas igrejas católicas da Capital. Fiéis não deixaram de ir nas celebrações, mas optaram por usar a máscara, álcool em gel e manter um pouco de distância nos bancos dos salões. O Arcebispo Metropolitano de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, […]

Bruna Vasconcelos Publicado em 15/03/2020, às 16h53 - Atualizado em 16/03/2020, às 12h52

(Foto: Leonardo de França, Midiamax)
(Foto: Leonardo de França, Midiamax) - (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Os cuidados pessoais em meio a pandemia do coronavírus já podem ser vistos também nas igrejas católicas da Capital. Fiéis não deixaram de ir nas celebrações, mas optaram por usar a máscara, álcool em gel e manter um pouco de distância nos bancos dos salões. O Arcebispo Metropolitano de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, deu recomendações para a igreja a fim de se unir ao esforço coletivo para evitar a propagação da doença.

A missa das 16h, no Santuário Estadual Nossa Senhora Perpétuo Socorro, estava lotada de fiéis neste domingo (15). O padre Adriano da Silva Alves não acredita que a comunidade deixe de frequentar as celebrações por causa do risco do coronavírus. “Vamos seguir as orientações dadas pelo Dom Dimas”, garantiu.

Há também quem não esteja tão preocupado com o risco de contaminação. Niara Gaúna, de 35 anos, disse que não vai deixar de ir na igreja, já que existem outros vírus espalhados como a Influenza. A fiel estava acompanhada da família, entre eles uma senhora de 57 anos.

“Só não vou abraçar a pessoa ao meu lado se ela não quiser”, concluiu.

Recomendações Dom Dimas

Dentre as orientações do Arcebispo estão evitar rezar o Pai Nosso de mãos dadas e tumultos no final das celebrações. Dom Dimas ainda recomenda que os que estiverem a serviço dos enfermos, nas casas ou hospitais, redobrem os cuidados com a higiene e sigam as outras orientações sanitárias já divulgadas pelas autoridades competentes.

Outras orientações são:

  • Evitar o abraço da paz durante ou depois das celebrações. O mesmo vale para a Pastoral da Acolhida, ao receber os fiéis na entrada de nossas Igrejas;
  • Receber a comunhão na mão; para isso, evitar distribuir a comunhão sob as duas espécies; e que o fiel comungue na frente do Ministro;
  • Seguir as orientações a respeito da higienização das mãos e outros cuidados sanitários, ou seja, não compartilhar objetos pessoais, manter os ambientes bem ventilados, evitar aglomerações em torno de pessoas doentes, cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir, lavar bem as mãos com água e sabão ou usar álcool gel;
  • Ter muita prudência quanto à disseminação de notícias divulgadas sobre o vírus, sobretudo nas redes sociais, pois a possibilidade de fake news é real nessas ocasiões;
  • Os Padres, Diáconos e Ministros façam uso de álcool gel antes de distribuírem a Sagrada Comunhão;

Quanto às Santas Missas, é recomendável aumentar o número de celebrações, caso o afluxo de pessoas em alguma Paróquia seja excessivo. Essas orientações são provisórias, podendo ser alteradas caso as circunstâncias o exigirem.

Jornal Midiamax