Cotidiano

Solurb demite mais de 200 funcionários e alega ‘pouca demanda na pandemia’

Segundo a Solurb, as demissões teriam sido causadas pela diminuição de demanda dos serviços solicitados pela Prefeitura de Campo Grande durante a pandemia.

Dândara Genelhú Publicado em 22/04/2020, às 16h16 - Atualizado em 23/04/2020, às 11h56

(Foto Ilustrativa: Arquivo Midiamax)
(Foto Ilustrativa: Arquivo Midiamax) - (Foto Ilustrativa: Arquivo Midiamax)

Mais de 200 funcionários da Solurb foram dispensados nesta quarta-feira (22). Segundo a empresa, as demissões teriam sido causadas pela diminuição de demanda dos serviços solicitados pela Prefeitura de Campo Grande durante a pandemia.

Em nota, a empresa afirma que houve “diminuição na área de abrangência e frequência dos serviços de varrição, conservação e manutenção de avenidas, áreas verdes, praça e parques” por meio de solicitação da prefeitura. Os funcionários dispensados são os que realizavam estas atividades.

Devido a pandemia do coronavírus, estes e outros serviços realizados pela empresa foram afetados. A coleta seletiva, por exemplo, foi suspensa por tempo indeterminado e o número de saídas dos caminhões da garagem da Solurb está reduzido a quatro horários, o que pode causar atrasos na coleta do lixo.

Confira a justificativa na íntegra: “Salientamos que todos os esforços foram tomados, em vista de garantir o emprego destes colaboradores,  no entanto não possuindo por parte da Prefeitura Municipal de Campo Grande uma previsão de retomada destes serviços, na mesma abrangência que vinha ocorrendo antes da pandemia do COVID-19, ou seja, momentaneamente não nos restou outra alternativa”.

Trabalhadores demitidos, famílias afetadas

Segundo o vice-presidente do Steac (Sindicato do Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação) Tom Ferreira afirma que com as demissões, o reflexo negativo será dentro dos lares das famílias que dependiam do salário para se sustentarem. “Pode multiplicar esses 200 por quatro, porque tem esposa e no mínimo três filhos em cada uma dessas histórias, então o reflexo é muito grande”.

Tom explica que estes trabalhadores já haviam sido afastados das ruas devido a pandemia do coronavírus e receberam férias, segundo medida proposta pelo Governo Federal neste período. Nesta quarta-feira (22), os mais de 200 trabalhadores estavam retornando das férias e receberam o aviso da demissão em massa.

“Foi uma situação muito triste, eu estava lá na hora do aviso”, lamenta o vice-presidente. Ele confirma a justificativa da Solurb, que os trabalhadores foram dispensados devido a diminuição da demanda dos serviços solicitados pela Prefeitura de Campo Grande.

Ele acrescenta que estes funcionários estão em período de aviso prévio e deverão permanecer nas ruas pelos próximos 60 dias. “O munícipe ainda vão ver eles nas ruas, porque estão trabalhando de aviso, mas nos próximos 60 dias eles vão desaparecer totalmente”, afirma.

Para que possam voltar às ruas da capital, os trabalhadores passaram por uma série de testes de saúde para garantir que nenhum estava com sintomas do coronavírus. Tom ressalta que os funcionários da Solurb desta linha de trabalho que são dos grupos de risco do coronavírus foram dispensados durante o período de aviso.

Jornal Midiamax