Cotidiano

Com Pantanal em chamas, Governo decreta situação de emergência em todo o MS

O Governo do Estado decreta situação de emergência devido aos desastres causadas pelos incêndios florestais que atingem o território sul-mato-grossense, em especial a região do Pantanal. O decreto cita que o fogo já destruiu 1,4 milhão de hectares e que todas as cidades de MS são atingidas pela grave estiagem. Conforme o decreto assinado pelo […]

Mylena Rocha Publicado em 14/09/2020, às 10h19 - Atualizado às 14h03

Foto: Divulgação/PrevFogo Ibama
Foto: Divulgação/PrevFogo Ibama - Foto: Divulgação/PrevFogo Ibama

O Governo do Estado decreta situação de emergência devido aos desastres causadas pelos incêndios florestais que atingem o território sul-mato-grossense, em especial a região do Pantanal. O decreto cita que o fogo já destruiu 1,4 milhão de hectares e que todas as cidades de MS são atingidas pela grave estiagem.

Conforme o decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), é necessária resposta urgente ao desastre com o controle dos incêndios florestais. Além disso, foi possível perceber o aumento no atendimento nos postos de saúde com pacientes com problemas causados pelo tempo seco.

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) estima que o fogo já consumiu uma área de 1,4 milhão de hectares e setembro é o mês mais crítico em relação aos incêndios florestais. 

O decreto declara situação de emergência por 90 dias em Mato Grosso do Sul. O Governo Estadual autoriza a mobilização de todos os órgãos estaduais para atuarem sob a coordenação da Defesa Civil em ações de resposta ao desastre.

Voluntários podem atuar no reforço às ações de combate aos incêndios e campanhas de doação de recursos podem ser feitas, para ajudar na assistência à população afetada pelas queimadas. O decreto ainda permite a dispensa de licitação para compra de bens necessários às atividades de combate aos incêndios, de prestação de serviços ou de obras necessárias para a reabilitação dos cenários dos desastres, desde que possam ser concluídas no prazo de 80 dias.

Jornal Midiamax