Cotidiano

Com leitos lotados, funcionários do Hospital da Vida ficam sem salários e protestam

Enfermeiros e técnicos do Hospital da Vida, em Dourados, fizeram um protesto na noite desta segunda-feira (7) para denunciar que estão sem receber os salários do mês de novembro. Segundo eles o pagamento foi prometido para o quinto dia útil mas acabou não sendo depositado em virtude do ponto facultativo. Além da falta de salários […]

Marcos Morandi Publicado em 07/12/2020, às 21h56 - Atualizado em 08/12/2020, às 06h28

Funcionários cobram recebimento de salários e férias. (Foto: Marcos Morandi)
Funcionários cobram recebimento de salários e férias. (Foto: Marcos Morandi) - Funcionários cobram recebimento de salários e férias. (Foto: Marcos Morandi)

Enfermeiros e técnicos do Hospital da Vida, em Dourados, fizeram um protesto na noite desta segunda-feira (7) para denunciar que estão sem receber os salários do mês de novembro. Segundo eles o pagamento foi prometido para o quinto dia útil mas acabou não sendo depositado em virtude do ponto facultativo.

Além da falta de salários e do não recebimento de férias, os funcionários também denunciaram o descaso da administração municipal em relação ao Hospital da Vida, que é considerado referência no atendimento de pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) na cidade e também na região.

“Não estamos fazendo nada mais do que reivindicar aquilo que é nosso direito sagrado que é o recebimento do nosso salário. A Funsaud nos informou que o pagamento seria depositado hoje e isso não aconteceu. Fomos surpreendidos com um comunicado que isso só vai acontecer na quarta-feira. Isso significa que só estará disponível para saque na quinta-feira”, reclama a técnica de enfermagem Marta Berttoni de Souza.

Na nota divulgada aos funcionários do Hospital da Vida, a Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados) explicou que “o salário que deveria ser pago na data de hoje (quinto dia útil) sofrerá atraso”, e que isso correu por falta de repasse de recursos por parte da Secretaria Municipal de Saúde. A nota é assinada pelo diretor administrativo da fundação, Rodrigo Aparecido Bezerra da Silva.

O médico e vereador eleito Diogo Castilho (DEM), acompanhou a manifestação e disse que já vem conversando com o prefeito eleito Alan Guedes (Progressista) para evitar que isso tipo situação continue acontecendo. “A situação não pode permanecer do jeito que está”, comentou o vereador ao Midiamax.

Colapso anunciado

Com quatro mortes registradas na cidade em apenas 24 horas, em decorrência do coronavírus, o número total pessoas infectadas chega agora a 10.502, com 893 casos ativos da doença e segundo o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, Dourados já está bem próximo de um colapso previamente anunciado.

Conforme o boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (7),  843 pessoas estão em isolamento domiciliar e 49 encontram-se internadas, sendo 27 em enfermarias e 22 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva),  que já está 96% da sua capacidade ocupada, conforme números divulgados pela administração municipal.

Jornal Midiamax