Cotidiano

Com fronteira fechada, ambulância paraguaia é flagrada em cidade de MS

Flagrante de uma ambulância da municipalidade de Capitán Bado, no Paraguai, no lado brasileiro da fronteira, estacionada em Ponta Porã –a 329 km de Campo Grande–, gerou investigações das autoridades de Saúde do país vizinho. O fato foi divulgado nesta quarta-feira (27) pelo jornal ABC Color e chamou a atenção por conta das restrições de […]

Humberto Marques Publicado em 27/05/2020, às 18h48 - Atualizado em 28/05/2020, às 12h21

Veículo paraguaio foi flagrado na Avenida Marechal Floriano; caso será apurado. (Imagem: ABC Color/Reprodução)
Veículo paraguaio foi flagrado na Avenida Marechal Floriano; caso será apurado. (Imagem: ABC Color/Reprodução) - Veículo paraguaio foi flagrado na Avenida Marechal Floriano; caso será apurado. (Imagem: ABC Color/Reprodução)

Flagrante de uma ambulância da municipalidade de Capitán Bado, no Paraguai, no lado brasileiro da fronteira, estacionada em Ponta Porã –a 329 km de Campo Grande–, gerou investigações das autoridades de Saúde do país vizinho. O fato foi divulgado nesta quarta-feira (27) pelo jornal ABC Color e chamou a atenção por conta das restrições de circulação entre os dois países decorrentes do novo coronavírus (Covid-19).

O veículo pertence ao Seme (Serviço de Emergência Médica Ambulatorial) paraguaio e foi flagrada por um internauta. No vídeo, o autor da gravação ainda comenta ser engraçado que médicos não podem atravessar a fronteira para trabalhar, enquanto ocupantes da ambulância, aparentemente, passeavam pela Avenida Marechal Floriano, em Ponta Porã.

O ABC Color constatou que o veículo pertence ao Hospital Distrital de Capitan Bado e atravessou indevidamente a fronteira –que está fechada para conter a circulação da Covid-19. Depois de o Governo do Paraguai decretar o fechamento das fronteiras em meio a uma quarentena rigorosa, que autorizou a reabertura do comércio somente nos últimos dias, o Palácio do Planalto também anunciou o fechamento das fronteiras brasileiras.

Diretor do hospital paraguaio, Juliano Reichard disse estar ciente da situação e que tomaria providências. Segundo ele, há três motoristas na unidade de Saúde, mas o condutor ainda não foi identificado.

O veículo teria levado uma mulher grávida e um paciente do programa nacional de controle do HIV de Capitan Bado a Pedro Juan Caballero, devendo retornar à origem. “Quando a ambulância sai do hospital, não temos como controlar. Cada motorista é responsável, eles sabem que não devem se desviar do seu itinerário. Eles podem parar para comer algo no caminho, mas não podem ficar para fazer compras”, disse.

Até esta quarta-feira, o Paraguai registrou 877 casos confirmados e 11 mortes por coronavírus. No Brasil, são 396.166 infectados e 24.746 mortes.

Jornal Midiamax