Cotidiano

Regras: Prefeitura estabelece distância de 5 metros na educação física para retorno às escolas

A prefeitura de Campo Grande publicou, em edição extra do Diário Oficial da segunda-feira (14), decreto com uma série de exigências que as escolas particulares devem cumprir para retornar com as aulas particulares a partir do dia 21 de setembro. Num primeiro momento, está autorizada a volta das crianças do berçário e ensino infantil. As […]

Gabriel Maymone Publicado em 15/09/2020, às 07h52 - Atualizado às 11h55

Foto ilustrativa: Reprodução | SEDF
Foto ilustrativa: Reprodução | SEDF - Foto ilustrativa: Reprodução | SEDF

A prefeitura de Campo Grande publicou, em edição extra do Diário Oficial da segunda-feira (14), decreto com uma série de exigências que as escolas particulares devem cumprir para retornar com as aulas particulares a partir do dia 21 de setembro. Num primeiro momento, está autorizada a volta das crianças do berçário e ensino infantil. As regras também valem para os demais níveis assim que forem permitidos.

Conforme acordado em reunião com representantes das instituições e o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), será permitida a capacidade máxima de 30% do estabelecimento. Além disso, mesas e carteiras devem estar distantes 1,5 metro entre uma e outra.

Por fim, existem outras regras que deverão ser seguidas pelas escolas, caso contrário, podem responder civil e criminalmente pelo descumprimento.

Veja algumas regras:

  • Distanciamento mínimo de 5 metros para realização de aulas de educação física;
  • Uso de máscara facultativo para crianças de até 6 anos;
  • Deixar janelas abertas e evitar o uso de ar condicionado;
  • Crianças com secreções nas roupas terão que trocar de vestes;
  • Salas devem ser desinfectadas durante os intervalos e atividades externas;
  • Aferição de temperatura corporal;
  • O responsável por aferir a temperatura deve usar avental de manga longa, máscara e óculos ou protetor facial;
  • Funcionários devem manter o cabelo preso, unhas curtas e não utilizar adereços como brincos e anéis.

Confira o decreto n. 14.455 na íntegra

Jornal Midiamax