Cotidiano

Focos de coronavírus em MS, frigoríficos são interditados e devem rever condições de trabalho

Os frigoríficos notificados pelo Ministério Público do Trabalho devem entregar até esta sexta-feira (15) um parecer e um plano de ação para continuar as atividades. Indústrias de Bonito e Guia Lopes da Laguna registram 9 denúncias sobre irregularidades com probabilidade de transmissão comunitária de coronavírus. Por outro lado, a associação do ramo acredita que o […]

Karina Campos Publicado em 14/05/2020, às 16h50 - Atualizado em 15/05/2020, às 11h43

(Foto: Ilustrativa/ Arquivo Midiamax)
(Foto: Ilustrativa/ Arquivo Midiamax) - (Foto: Ilustrativa/ Arquivo Midiamax)

Os frigoríficos notificados pelo Ministério Público do Trabalho devem entregar até esta sexta-feira (15) um parecer e um plano de ação para continuar as atividades. Indústrias de Bonito e Guia Lopes da Laguna registram 9 denúncias sobre irregularidades com probabilidade de transmissão comunitária de coronavírus. Por outro lado, a associação do ramo acredita que o perigo está no contágio de fora para dentro.

Conforme o MPT, as denúncias estão em caráter sigiloso, mas tratam de irregularidades praticadas pelas empresas, onde os funcionários podem ser infectados por terem contato direto. Em abril, a Vigilância Sanitária Municipal dos locais já haviam fiscalizados as unidades e recomendaram adoção de medidas de proteção à saúde dos trabalhadores. O Ministério também instaurou ações de promoção para ampliar o diálogo social e acompanhar a adoção das medidas de prevenção.

Dentre as medidas está a reorganização de todas as suas plantas, estabelecendo uma distância mínima de 1,8 metro entre os trabalhadores; nos refeitórios e vestiários, a sugestão é de escalas de empregados por horários de entradas e saídas; superfícies de trabalho e os equipamentos devem ser regularmente limpos com produtos recomendados pelas autoridades sanitárias; ambientes administrativos, as indústrias precisam providenciar a instalação de filtros de alta eficiência e garantir a renovação de ar que atenda às prescrições da (ABNT) Associação Brasileira de Normas Técnicas; evitar o compartilhamento de equipamentos, pertences e armários.

O presidente da Assocarnes (Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidores de Carnes de Mato Grosso do Sul), relata que não há pânico dos funcionários ou reclamações para voltar ao local de trabalho, porém, alerta que os cuidados que são adotados dentro dos frigoríficos deve ser estendido após o expediente dos trabalhadores.

“Já protocolamos um documento e enviamos para os frigoríficos, as recomendações podem ser adaptadas para as particularidades de cada uma. Toda industria alimentícia já tem um protocolo de sistema, de higienização constante, de limpar seus equipamentos (Proteção Individual). Por exemplo, tem que ter precaução para não contaminar o alimento. Automaticamente, o ideal é cada vez mais ter cuidado. A gente não sabe o que o funcionário faz depois (expediente de trabalho), não tem controle sobre isso. Dentro da indústria monitores observam para ser se estão adotando as medidas”.

Todos os funcionários das duas unidades estão de quarentena após funcionários testarem positivo para Covid-19. As prefeituras também decretaram uso de máscaras e proibição de aglomeração para evitar o avanço da doença.

Jornal Midiamax