Cotidiano

Principal foco do coronavírus em MS, Guia Lopes tem mais 7 casos positivos e total salta para 46

O município de Guia Lopes da Laguna confirmou mais 7 casos positivos da Covid-19, levando o total de confirmações na cidade para 46. Há, ainda, 10 casos suspeitos, 13 descartados e um paciente já está curado. O município, que tem população estimada em pouco mais de 10 mil habitantes, tem a maior taxa de incidência […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 13/05/2020, às 07h40 - Atualizado às 13h46

Praça em Guia Lopes da Laguna (Reprodução)
Praça em Guia Lopes da Laguna (Reprodução) - Praça em Guia Lopes da Laguna (Reprodução)

O município de Guia Lopes da Laguna confirmou mais 7 casos positivos da Covid-19, levando o total de confirmações na cidade para 46. Há, ainda, 10 casos suspeitos, 13 descartados e um paciente já está curado.

O município, que tem população estimada em pouco mais de 10 mil habitantes, tem a maior taxa de incidência da Covid-19, com 349,1 casos para cada 100 mil habitantes. Ela já está em um lockdown, que é o fechamento de todas as atividades comerciais e industriais não essenciais e limitação da circulação de pessoas.

De acordo com o prefeito da cidade, Jair Scapini, a violação do lockdown tem sido frequente. A região sudoeste, onde estão as cidades-irmãs Guia Lopes e Jardim, vão receber cinco leitos de UTI, conforme anúncio da SES (Secretaria de Estado de Saúde) na última terça-feira.

Nesta semana, o MPMS (Ministério Público Estadual) emitiu nota de esclarecimento na qual destaca a ausÊncia de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) tanto em Guia Lopes como em Jardim e destacou que o descumprimento do decreto municipal que instituiu o lockdown é crime.

“Ademais, quem descumprir o Decreto Municipal está praticando crime do artigo 268 do Código Penal, cuja pena é detenção de 1 mês a 1 ano. Por fim, pessoas confirmadas e com suspeitas de Coronavírus e que não estão cumprindo as recomendações de isolamento social poderão incorrer no crime do artigo 267 do Código Penal, cuja pena é reclusão de 10 a 15 anos e a prisão pode ocorrer em flagrante delito”.

Jornal Midiamax