Cotidiano

Com 239 internados, MS tem menor taxa de ocupação de leitos dos últimos três meses de pandemia

Mato Grosso do Sul registrou 239 pacientes internados em leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) nesta quarta-feira (4). No caso dos leitos clínicos, a taxa de ocupação é de 14% de leitos adulto e 6% em leitos pediátricos. Para leitos de UTI, a ocupação é de 29% para leitos adulto e 11% […]

Mylena Rocha Publicado em 04/11/2020, às 14h00 - Atualizado às 17h39

Foto Ilustrativa: Saul Schramm/Subcom-MS
Foto Ilustrativa: Saul Schramm/Subcom-MS - Foto Ilustrativa: Saul Schramm/Subcom-MS

Mato Grosso do Sul registrou 239 pacientes internados em leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) nesta quarta-feira (4). No caso dos leitos clínicos, a taxa de ocupação é de 14% de leitos adulto e 6% em leitos pediátricos. Para leitos de UTI, a ocupação é de 29% para leitos adulto e 11% em leitos pediátricos. De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), está é a menor taxa de ocupação de leitos nos últimos três meses de pandemia. 

Com 239 internados, MS tem menor taxa de ocupação de leitos dos últimos três meses de pandemiaO número de leitos de Covid-19 ocupados ficou por meses oscilando entre 450 e 550. Há exatamente um mês, o número de internados em MS era 460 pacientes. Agora, a média móvel de internações é de 267,5, com base nos números dos últimos sete dias.

O secretário da SES Geraldo Resende explica que a taxa de ocupação é um dado otimista, mas os números devem mudar nesta semana, já que alguns leitos serão desativados em Mato Grosso do Sul. 

“Temos 239 casos de internação, é um número bastante otimista, em relação aos últimos três meses é a menor taxa de ocupação de leitos de UTI no estado, com pacientes de Covid”, comentou.

Nesta quarta-feira (4), a taxa de 67% dos leitos de UTI ocupados em Campo Grande. Em Dourados, a ocupação é de 50%, em Três Lagoas de 34% e em Corumbá de 56%. Em todas as macrorregiões, há mais pacientes internados por outros motivos, os pacientes com coronavírus confirmado ou com suspeita são minoria.

Diante da queda no número de casos graves de Covid-19, alguns leitos devem ser desativados. Por isso, os dados sobre as taxas de ocupação devem mudar nesta semana. Resende explica que caso o número de casos de coronavírus volte a aumentar no estado, os leitos podem ser reativados. 

“Com diminuição de leitos habilitados para Covid, teremos taxa de ocupação maior, tendo em vista desativação de leitos a pedido de secretários municipais de saúde. Esses leitos ainda permanecem para outros agravos na área de saúde, caso tenhamos recrudescimento da doença, eles serão ativados para atender [casos de] Covid”, afirma.

Jornal Midiamax