Cotidiano

Chuvas, temperatura e ‘La Niña’: saiba como será o verão que começa nesta segunda

A partir das 6h02 – horário de Mato Grosso do Sul – desta segunda-feira (21) começa o verão no hemisfério sul. A estação que segue até o dia 20 de março de 2021 deste ano será marcada por um fenômeno chamado “La Niña”, mas que esse ano não será tão atuante. Saiba como os meteorologistas […]

Gabriel Maymone Publicado em 20/12/2020, às 14h59 - Atualizado em 21/12/2020, às 14h09

Sol e chuva marcam clima de verão (Foto: Arquivo Midiamax)
Sol e chuva marcam clima de verão (Foto: Arquivo Midiamax) - Sol e chuva marcam clima de verão (Foto: Arquivo Midiamax)

A partir das 6h02 – horário de Mato Grosso do Sul – desta segunda-feira (21) começa o verão no hemisfério sul. A estação que segue até o dia 20 de março de 2021 deste ano será marcada por um fenômeno chamado “La Niña”, mas que esse ano não será tão atuante. Saiba como os meteorologistas dizem que será o verão deste ano em MS.

Uma das principais características da estação é que os dias ficam mais longos que a noite, ou seja: o sol aparece mais cedo e demora mais para se pôr. Outro fator frequente no verão são as rápidas mudanças no clima e os grande volumes de chuva.

Falando em chuva, os meteorologistas preveem que o volume de precipitações deve ficar dentro da média no Estado, podendo até ficar um pouco acima. Isso porque em anos de ocorrência do La Niña são marcados pela estiagem, mas como este ano o fenômeno de resfriamento das águas do Oceano Pacífico será mais fraco, não deve alterar as chuvas em MS.

Conforme Franciane Rodrigues, meteorologista do Cemtec-MS (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), as regiões Sul, do Bolsão, Norte e Pantanal terão chuvas acima da média. Já a Central – que abrange Campo Grande – deverá ter chuvas dentro da média e somente a área sudoeste de MS poderá ter volumes abaixo da média.

Chuvas, temperatura e 'La Niña': saiba como será o verão que começa nesta segunda
Mapa de chuvas e temperatura para o verão no Brasil.

Veja as quantidades previstas para o próximo trimestre:

  • Central: 500 mm (dentro da normalidade)
  • Pantanal: 400 mm (acima da média)
  • Sudoeste: 350 mm (abaixo da média)
  • Sul (Grande Dourados, Cone Sul e Sul-Fronteira): 600 mm (acima da média)
  • Bolsão: 400 mm (acima da média)
  • Norte: 650 mm (acima da média)

Temperaturas

A cada ano a meteorologia está verificando temperaturas cada vez maiores e neste verão não será diferente. Franciane Rodrigues alerta que é esperado um acréscimo de 1,5ºC na temperatura média no Estado. Assim, “é possível termos picos de temperaturas elevadas chegando aos 37°C ou até mais”.

A exceção deve ocorrer na região norte, que pode até ter temperaturas um pouco abaixo da média, isso devido ao acumulo de chuva, que deve ser maior que o habitual.

Características

A combinação de calor e aumento de umidade resultam muitas vezes em condições adversas de tempo. É esperado para este verão a ocorrência de chuva com potencial para alagamentos, muitos raios e possibilidade de granizo. Além disso, será uma época com sensação térmica elevada e pouca amplitude térmica.

Por outro lado, será importante para a agropecuária, que sofreu com a estiagem ao longo de 2020 e para a recomposição de reservatórios das hidrelétricas, que chegaram a ficar em 16,5% na região Centro-Oeste.

Jornal Midiamax