Cotidiano

Alerta: Campo Grande terá recorde de frio nesta semana e cuidados com saúde devem aumentar

Nos próximos dias, uma massa de ar frio de moderada a forte, faz com que as temperaturas baixem no centro-sul do Brasil. As noites e madrugadas devem ficar mais frias até o fim de semana e Campo Grande deve registrar a menor temperatura do ano até agora. De acordo com a previsão do site Climatempo, […]

Ana Paula Chuva Publicado em 08/04/2020, às 09h47 - Atualizado em 09/04/2020, às 09h39

(Leonardo de França | Jornal Midiamax)
(Leonardo de França | Jornal Midiamax) - (Leonardo de França | Jornal Midiamax)

Nos próximos dias, uma massa de ar frio de moderada a forte, faz com que as temperaturas baixem no centro-sul do Brasil. As noites e madrugadas devem ficar mais frias até o fim de semana e Campo Grande deve registrar a menor temperatura do ano até agora.

De acordo com a previsão do site Climatempo, entre na terça-feira (7) os termômetros da Capital chegaram aos 16,6°C e para a sexta-feira (9) a mínima prevista é de 15°C. Nesta quinta-feira (9) às 6h Campo Grande registrou uma temperatura de 17°C.

Ainda conforme o Climatempo, a sexta-feira deve ser de sol com algumas nuvens, mas não deve chover. A máxima vai chegar aos 27°C entre às 14h e 16h, logo após as temperaturas voltam a cair.

No sábado (11) a madrugada e o começo do dia serão de temperaturas baixas também com os termômetros marcando até 15°C e para o domingo (12) a mínima será de 17°C com possibilidade de queda.

Frio e doenças respiratórias

Vale lembrar que com a chegada do frio e a baixa umidade do período aumentam as chances de problemas respiratórios, por isso os cuidados com a saúde, principalmente na atual situação de pandemia pelo coronavírus (Covid-19), devem ser redobrados.

Alerta: Campo Grande terá recorde de frio nesta semana e cuidados com saúde devem aumentar
(Leonardo de França | Jornal Midiamax)

Segundo o médico pneumologista Henrique Ferreira de Brito o outono e o inverno, são estações que sempre causam impacto na saúde, principalmente na saúde respiratória. “Tanto pela troca da estação, mudança na temperatura, mas também porque temos um inverno seco, por isso as pessoas manifestam mais as doenças respiratórias”, explicou.

O especialista destaca que o coronavírus também agride o sistema respiratório e por isso clima frio acaba sendo favorável ao contágio também. “O coronavírus é um vírus que causa um quadro respiratório desde um quadro gripal mais leve até uma pneumonia mais intensa como temos visto e entra nessa situação. O vírus gosta do frio e do seco”, disse ao Jornal Midiamax.

Para se prevenir, o pneumologista lembra que é importante manter uma alimentação saudável, beber bastante água, os ambientes devem estar arejados e procurar manter ar úmido usando umidificadores e até mesmo toalhas molhadas ou outros artifícios ajuda a evitar o contágio e a manifestação de quadros respiratórios durante o período.

Jornal Midiamax