Cotidiano

Bombeiros mantêm combate a focos de incêndio no Atacadão em Campo Grande

O Corpo de Bombeiros ainda deverá trabalhar durante a noite desta segunda-feira (14) e madrugada de terça-feira (15) no resfriamento no prédio do Atacadão que foi destruído por um incêndio que se iniciou por volta das 17 horas deste domingo (13), na Avenida Duque de Caxias em Campo Grande. Ninguém ficou ferido. O resfriamento é […]

Diego Alves Publicado em 14/09/2020, às 21h14 - Atualizado em 16/09/2020, às 10h06

Bombeiros atuando no local na noite deste domingo (14) (Foto Henrique Arakaki)
Bombeiros atuando no local na noite deste domingo (14) (Foto Henrique Arakaki) - Bombeiros atuando no local na noite deste domingo (14) (Foto Henrique Arakaki)

O Corpo de Bombeiros ainda deverá trabalhar durante a noite desta segunda-feira (14) e madrugada de terça-feira (15) no resfriamento no prédio do Atacadão que foi destruído por um incêndio que se iniciou por volta das 17 horas deste domingo (13), na Avenida Duque de Caxias em Campo Grande. Ninguém ficou ferido. O resfriamento é para monitorar e conter as pequenas chamas que ainda têm no local, pois se não contidos podem causar mais focos.

“Ainda atuamos por lá, na questão do resfriamento e retirada de materiais. O trabalho deve durar madrugada inteira até de manhã”, afirma o tenente-coronel Fernando Carminati. A escada Magirus, de 60 metros foi utilizada também nesta segunda. Mais de 400 mil litros de água já foram utilizados no combate.

As únicas partes preservadas no incêndio foram o escritório e a administração da unidade da rede atacadista. Os bombeiros precisaram pausar a entrada de viaturas por volta das 3 horas da manhã desta segunda, devido ao risco de desabamento. Após uma avaliação, equipes voltaram a trabalhar no local com o resfriamento que é para monitorar e conter os pequenos focos, pois se não contidos podem causar mais focos.

Tragédia poderia ter sido evitada

Ainda conforme o tenente-coronel, que é especialista em brigadas empresariais, a tragédia poderia ter sido amenizada, caso a ação inicial dos brigadistas tivesse sido efetiva. “Pelas imagens, só havia uma linha de fogo, na gôndola. A chance de ter apagado o fogo ali era grande se tivesse sido acionado tudo corretamente. Assim, não teria tomado essa proporção”, avalia.

“Eu vi que o Atacadão informou que alguns brigadistas cuidavam da evacuação do local e fizeram isso muito bem feito, pois não houve feridos. Entretanto, a equipe tem que estar preparada para realizar as duas tarefas [evacuar e combater as chamas] simultaneamente”, concluiu.

Toda empresa que tem equipe de brigadistas deve passar pela verificação do Corpo de Bombeiros. Os certificados do Atacadão estavam em dia.

Jornal Midiamax