Cotidiano

Biosul doará 200 mil litros de álcool para Saúde de MS, diz Reinaldo

Durante coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (19), o governador do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB), anunciou que a Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato grosso do Sul) doará 200 mil litros de álcool para à Saúde de MS durante o combate a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus. Conforme Reinaldo, a empresa […]

Mariane Chianezi Publicado em 19/03/2020, às 16h45

Ilustrativa |Agência Brasil | Reprodução
Ilustrativa |Agência Brasil | Reprodução - Ilustrativa |Agência Brasil | Reprodução

Durante coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (19), o governador do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB), anunciou que a Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato grosso do Sul) doará 200 mil litros de álcool para à Saúde de MS durante o combate a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus.

Conforme Reinaldo, a empresa doará o álcool e o mesmo será invasado por uma empresa de bebidas em MS para que posteriormente seja distribuídos aos hospitais e unidades de saúde no Estado.

“Vamos distribuir para que haja uma higienização melhor. A gente é muito grato a essa solidariedade e parceria. Todas as empresas que queiram colaborar, serão bem-vindos”, disse durante a coletiva de imprensa.

O governados também anunciou que decretará estado de calamidade pública em Mato Grosso do Sul devido ao surgimento de casos de coronavírus. No boletim epidemiológico desta quinta-feira foi divulgado que há 9 casos, oito em Campo Grande e um em Sidrolândia. Além de 39 suspeitas da doença.

Calamidade pública

Azambuja explicou que o decreto sairá oficialmente nesta sexta-feira (20) em publicação no DOE (Diário Oficial do Estado). O decreto legislativo será entregue a ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) também nesta sexta, mas dependerá de avaliação dos deputados estaduais para implantar o estado de calamidade pública.

Com a implantação de calamidade, o Estado estará com permissão para descumprir algumas metas para realizar compras de medicamentos e fazer a contratação de profissionais na área de saúde.

“Esse decreto faz flexibilização que algumas metas poderão ser descumpridas por Mato Grosso do Sul. Momento agora é de preservar vidas, de manter o maior número nas residências”, disse o governador.

Jornal Midiamax