Isolamento total em MS: Azambuja ameaça ‘lockdown’, caso população continue a não respeitar isolamento

O governador Reinaldo Azambuja não descartou que o estado possa adotar o ‘lockdown’, (bloqueio total da movimentação), caso a população continue a não respeitar o isolamento social. Mato Grosso do Sul é um dos estados que mais desrespeitam a quarentena. Nesta segunda-feira (13), Azambuja disse que essa seria uma medida extrema, caso a população não […]
| 14/04/2020
- 00:20
Isolamento total em MS: Azambuja ameaça ‘lockdown’, caso população continue a não respeitar isolamento
“Se nós não tivermos a consciência das pessoas de ficar em casa, evitar sair de casa, nós vamos chegar a esse momento", disse (Arquivo/Leonardo de França, Midiamax) - “Se nós não tivermos a consciência das pessoas de ficar em casa, evitar sair de casa, nós va

O governador não descartou que o estado possa adotar o ‘lockdown’, (bloqueio total da movimentação), caso a população continue a não respeitar o isolamento social. Mato Grosso do Sul é um dos estados que mais desrespeitam a quarentena.

Nesta segunda-feira (13), Azambuja disse que essa seria uma medida extrema, caso a população não se conscientize sobre o risco de aglomerações durante a pandemia do no a doença provocada pelo novo .

“Se nós não tivermos a consciência das pessoas de ficar em casa, evitar sair de casa, nós vamos chegar a esse momento. É uma medida drástica, é radical, alguns países tomaram. Aqui no Brasil, alguns governos estão olhando essa possibilidade”, afirmou Reinaldo Azambuja. “A medida extrema vem se não tiver a consciência da sociedade. Podemos ir sim para uma medida extrema, para decretar isso. Nós todos temos que ser conscientes”, acrescentou. Quase da metade da população de não tem respeitando o isolamento social, revela um sistema que usa os dados de mais de 60 milhões de dispositivos móveis em todo o Brasil.

Azambuja destacou ainda que o Estado começou a ter a transmissão comunitária, quando já não é possível identificar a origem do contágio, e isso torna a situação mais perigosa. “Se nós fizermos nossa parte com isolamento, ficarmos em casa, [tomarmos] o cuidado da distância mínima entre as pessoas, eu não tenho dúvida: diminui muito a pressão [no sistema de saúde]. Já que o vírus está sendo transmitido de forma comunitária, mais ainda agora é a necessidade de nos isolarmos, ficarmos em casa e evitarmos a contaminação de um maior número de pessoas”.

Em entrevista cedida nesta segunda-feira (13), que teve parte publicada da fala do governador publicada por sua assessoria, Reinaldo Azambuja contou também ter autorizado a compra de 60 mil cestas básicas para atendimento às famílias mais vulneráveis.

Veja também

Incêndio começou após morador dormir com fogão ligado

Últimas notícias