Cotidiano

Aumento de 32%: MS registrou 23 novos casos de coronavírus por hora em novembro

Novembro foi um mês crítico para a pandemia de coronavírus em Mato Grosso do Sul. Após período de queda em outubro, os casos voltaram a crescer no estado e a situação preocupa as autoridades de saúde, diante do risco da falta de leitos para os pacientes. Somente em novembro, foram 16.717 novos casos. O número […]

Mylena Rocha Publicado em 01/12/2020, às 13h30

Imagem ilustrativa. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)
Imagem ilustrativa. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax) - Imagem ilustrativa. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Novembro foi um mês crítico para a pandemia de coronavírus em Mato Grosso do Sul. Após período de queda em outubro, os casos voltaram a crescer no estado e a situação preocupa as autoridades de saúde, diante do risco da falta de leitos para os pacientes. Somente em novembro, foram 16.717 novos casos. O número representa um aumento de 32% em comparação com o mês anterior. 

A reportagem analisou dados dos boletins epidemiológicos da SES (Secretaria de Estado de Saúde), que apontam um total de 16.717 novos casos de Covid-19. O número corresponde a 557,2 novos casos por dia ou 23,3 novos casos por hora em Mato Grosso do Sul.

Em comparação com o mês de outubro, quando foram registrados 12.638 novos casos, houve um aumento de 32%. Já em relação às mortes por coronavírus, houve uma redução: em novembro foram registradas 177 mortes, contra 286 registradas em outubro. Isto acontece porque os novos casos têm atingido principalmente pacientes mais novos, de 20 a 39 anos. Pacientes jovens têm menos chance de desenvolver um quadro grave da doença, porém, é preciso lembrar que os jovens ainda podem transmitir a Covid-19 para seus pais e avós. 

Outro dado que mostra a piora no cenário da pandemia de coronavírus é o número de internações. Mato Grosso do Sul terminou o mês de novembro com 450 pacientes internados, sendo 257 em leitos clínicos e 193 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). No fim de outubro, eram 280 pacientes internados, 145 em leitos clínicos e 135 em leitos de UTI.

MS precisa de mais leitos

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) afirma que o secretário da pasta, Geraldo Resende, deve viajar para Brasília, no Distrito Federal, para articular a ampliação de mais 60 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para tratar pacientes com coronavírus. Conforme Resende, houve uma reunião com o secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho, na Santa Casa de Campo Grande, para abertura de 10 novos leitos de UTI.

“A abertura de novos leitos na Capital é fundamental para evitar o caos na saúde pública do Estado. Estamos trabalhando para que o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul possa receber mais 20 leitos de UTIs Covid. Também trabalhamos, junto com o município de Campo Grande, para abrir mais 20 leitos de UTIs Covid no Hospital do Pênfigo, único da rede privada que apontou essa possibilidade, considerando que os demais já trabalham no limite de suas ocupações”, informou.

Caso a abertura dos novos leitos não seja aprovada, a medida alternativa será a realocação de pacientes da Capital para unidades de macrorregião do Estado. “Estamos em contato permanente com os secretários municipais de Dourados, Ponta Porã, Naviraí, Três Lagoas e de todos os demais municípios, onde temos capacidades de leitos instalados. Caso seja necessário, poderemos fazer a realocação destes pacientes para algumas regiões do Estado”, disse.

Jornal Midiamax