Cotidiano

Após pressões, Dourados ganha mais sete leitos para atendimento de coronavírus

Com determinação judicial, Dourados, que vive uma nova onda crescente de casos de coronavírus tem mais sete leitos habilitados no HU-UFGD (Hospital Universitário da Grande Dourados) para atendimento da doença na cidade. A medida foi confirmada na tarde desta quinta-feira (9) pela administração municipal. Com a reativação desses novos leitos de UTI (Unidade de Terapia […]

Marcos Morandi Publicado em 11/12/2020, às 06h29

Em MS, idosos são os mais afetados pela Covid-19. Taxa de letalidade de pessoas com 75 anos ou mais é 112 vezes maior que de 30 a 39 anos. (Foto: Reprodução)
Em MS, idosos são os mais afetados pela Covid-19. Taxa de letalidade de pessoas com 75 anos ou mais é 112 vezes maior que de 30 a 39 anos. (Foto: Reprodução) - Em MS, idosos são os mais afetados pela Covid-19. Taxa de letalidade de pessoas com 75 anos ou mais é 112 vezes maior que de 30 a 39 anos. (Foto: Reprodução)

Com determinação judicial, Dourados, que vive uma nova onda crescente de casos de coronavírus tem mais sete leitos habilitados no HU-UFGD (Hospital Universitário da Grande Dourados) para atendimento da doença na cidade. A medida foi confirmada na tarde desta quinta-feira (9) pela administração municipal.

Com a reativação desses novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) o município passa a contar com 26. Entretanto, a Justiça quer mais 13 sejam colocados em funcionamento, como forma de reduzir ainda mais taxa de ocupação na cidade, que já foi de 100% e agora está em 88%.

Ainda na manhã desta quinta-feira (9), representantes da secretaria municipal de saúde de Dourados, da Funsaud (Fundação de Saúde de Dourados), do Conselho Municipal de Saúde e do Governo do Estado estiveram reunidos na sede do MPMS (Ministério Público Estadual) para tratar do assunto.

Embora a taxa de ocupação específica para casos de coronavírus tenha sofrido uma redução de 12%, conforme dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, os leitos de uso geral continuam completamente lotados.

“Essa é uma questão de urgência e estamos tomando todas as providências para garantir o atendimento da população, não em relação aos leitos, mas também no fornecimento do material necessário”, explicou o assessor de gabinete da prefeita Délia Razuk (sem partido), que participou da reunião realizada no MPMS.

Conforme o mais recente boletim epidemiológico, a cidade já totaliza 10.929 casos confirmados da doença. Desse total, 9.644 já foram recuperados e outros 1.192 ainda estão ativos, sendo  1.136 em isolamento domiciliar, 30 internações em enfermarias e outras 26 em leitos de UTI.

Jornal Midiamax