Cotidiano

Após piora na classificação, 56% dos municípios têm alto grau de risco para coronavírus em MS

Diante do aumento expressivo de casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul, novo mapa do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) foi divulgado nesta semana com a classificação de risco dos municípios na pandemia. O mapa passa a ser atualizado semanalmente e não quinzenalmente, como era antes, devido ao expressivo aumento de […]

Mylena Rocha Publicado em 10/12/2020, às 12h39

Imagem ilustrativa. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)
Imagem ilustrativa. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax) - Imagem ilustrativa. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Diante do aumento expressivo de casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul, novo mapa do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) foi divulgado nesta semana com a classificação de risco dos municípios na pandemia. O mapa passa a ser atualizado semanalmente e não quinzenalmente, como era antes, devido ao expressivo aumento de municípios na faixa vermelha no período: de 26 para 45. Campo Grande se mantém na bandeira vermelha desde a segunda quinzena de novembro.

O mapa aponta que mais da metade dos municípios do estado estão com grau de risco alto para transmissão do coronavírus. Em relação ao último mapa divulgado pelo Prosseguir, 42 municípios mantiveram a classificação, apenas 7 municípios melhoraram e 30 municípios regrediram no grau de risco. 

A piora dos indicadores tem sido motivo de grande preocupação do governo estadual, segundo o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel. “Tivemos uma grande regressão no grau de risco em virtude dos indicadores mais preocupantes neste momento que são: o aumento dos casos, de óbitos e redução de leitos disponíveis”, disse.

O mapa referente à semana do dia 29 de novembro a 5 de dezembro mostra que há 4 municípios na faixa de risco tolerável (amarela), 27 municípios no grau médio (bandeira laranja), 45 no grau de risco alto (bandeira vermelha) e três na faixa de risco extremo (bandeira cinza): Amambai, Dois Irmãos do Buriti e Naviraí.

Para gerar essa classificação, o programa avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, necessidade de expansão de leitos e situação de fronteira com país ou divisa com Estado que tenha aumento de casos.

Jornal Midiamax