Cotidiano

Após fim de semana de restrições no comércio, Campo Grande volta a ter o 2º pior isolamento social entre as capitais

Campo Grande teve a 13ª melhor marca no domingo, quando atividades comerciais foram restritas; MS atingiu o 4º pior resultado dos Estados.

Humberto Marques Publicado em 21/07/2020, às 13h43 - Atualizado às 15h34

Campo Grande ficou com a segunda pior posição entre as capitais na segunda-feira. (Imagem: In Loco)
Campo Grande ficou com a segunda pior posição entre as capitais na segunda-feira. (Imagem: In Loco) - Campo Grande ficou com a segunda pior posição entre as capitais na segunda-feira. (Imagem: In Loco)

Com o término do primeiro fim de semana de fechamento de atividades comerciais em Campo Grande, a cidade voltou a figurar nas piores posições entre as capitais brasileiras quanto ao índice de isolamento social, estratégia de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19).

Campo Grande teve a segunda pior marca do país, com 37,12% (melhor apenas que os 34,91% de Palmas, no Tocantins). No domingo (19), quando os serviços não-essenciais foram proibidos de funcionar, a cidade ficou na 13ª posição nacional, com taxa de isolamento de 49,28%.

Por tabela, Mato Grosso do Sul –onde vários municípios também seguem a orientação e restringiram a abertura de estabelecimentos comerciais no fim de semana– também caiu no ranking dos Estados. O 11º lugar no domingo foi substituído pela 24ª posição –a quarta pior do país, atrás de Tocantins (34,66%), Goiás (36,95%) e Paraná (37,03%)–, com o índice de 37,23%.

Os dados foram medidos pela consultoria In Loco, a partir da movimentação do sinal de telefones celulares.

As marcas de segunda-feira do Estado e de Campo Grande estão abaixo da média nacional, de 39,1%; e bem distantes das taxas mínimas de isolamento social recomendadas por autoridades de Saúde (que já admitem um mínimo de 50% de recolhimento domiciliar da população como meio de frear o avanço da Covid-19, ante os 70% antes recomendados).

Ao não sair de casa, a pessoa evita tanto se expor à Covid-19 como também, em caso de já estar infectada, transmitir o vírus a outras pessoas. A estratégia foi defendida diante do fato de que tanto as vacinas como os medicamentos contra o coronavírus estarem em fase de testes.

As cinco melhores marcas de isolamento social no Estado vieram de pequenos municípios: Aral Moreira (53,8%), Juti (50%), Figueirão (48,6%), Caracol (48,4%) e Alcinópolis (45,5%).

Por outro lado, os percentuais mais baixos saíram de Jateí (26,8%), Laguna Carapã (27,9%), Novo Horizonte do Sul (28%), Paranhos (28,1%) e Chapadão do Sul (30,9%). No Estado, Campo Grande teve o 34º pior resultado.

Balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde nesta terça-feira aponta que Mato Grosso do Sul atingiu 17.386 casos confirmados de Covid-19 desde 14 de março (data das duas primeiras confirmações). Pelo menos 248 pessoas perderam a vida para a doença até a noite de segunda, quando o informativo foi fechado –foram 20 mortes a mais que o total registrado no dia anterior.

Jornal Midiamax