Cotidiano

Após fechamento de academias, conselho cobra estudo sobre contaminação

Um documento do CREF11/MS (Conselho Regional de Educação Física de Mato Grosso do Sul),  assinado pelo presidente da categoria, Joacyr Lima de Oliveira Junior, pede que a Prefeitura de Dourados apresente estudo técnico que confirme a contaminação de covid-19 nas academias de ginástica. Segundo o CREF11/MS, a administração municipal precisa fundamentar a decisão tomada na […]

Marcos Morandi Publicado em 10/07/2020, às 08h57

Academias devem ficar fechadas por 10 dias em Dourados.(Foto: Reprodução).
Academias devem ficar fechadas por 10 dias em Dourados.(Foto: Reprodução). - Academias devem ficar fechadas por 10 dias em Dourados.(Foto: Reprodução).

Um documento do CREF11/MS (Conselho Regional de Educação Física de Mato Grosso do Sul),  assinado pelo presidente da categoria, Joacyr Lima de Oliveira Junior, pede que a Prefeitura de Dourados apresente estudo técnico que confirme a contaminação de covid-19 nas academias de ginástica.

Segundo o CREF11/MS, a administração municipal precisa fundamentar a decisão tomada na elaboração do decreto que proibiu a partir desta sexta-feira (10),  a abertura de academias de ginástica, estúdios e similares, bem como bares, conveniências e tabacarias. A medida teria como objetivo, segundo, ajudar evitar propagação do vírus.

“O referido estudo estabelecerá critérios científicos específicos e técnicos, que possibilitarão que as decisões do município contemplem o princípio da razoabilidade, a fim de evitar medidas drásticas e desnecessárias que causem sérios impactos financeiros, tais como o fechamento dos estabelecimentos, conforme ocorrido no mês de março do corrente ano sem fundamento técnico e científico” , explica um trecho do documento.

Segundo a entidade, “estudos comprovam que a atividade física, especialmente em ambientes arejados, ajuda a fortalecer o sistema imunológico, o que faz com o que o corpo produza respostas mais rápidas e eficazes a organismos invasores, caso do Covid-19, portanto é importante que todos mantenham seus níveis de atividade física regular”.

Diante da não existência de estudo técnico que confirme a contaminação da doença nas academias, o Conselho Regional de Educação Física recomenda que seja mantido o funcionamento dos estabelecimentos.

Jornal Midiamax