Após adiar passar exclusividade para ECVs, vistoria funciona normalmente no Detran

Depois de voltar atrás e adiar passar a exclusividade da vistoria veicular para as ECVs (Empresas Credenciadas de Vistoria), o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) realiza o serviço normalmente nesta segunda-feira (17). Diretor-executivo do Sindetran (Sindicato dos Servidores do Detran), Bruno Alves, disse que os vistoriadores estão trabalhando nor...
| 17/08/2020
- 14:11
Após adiar passar exclusividade para ECVs, vistoria funciona normalmente no Detran
Foto ilustrativa: Guilherme Cavalcante | Midiamax - Foto ilustrativa: Guilherme Cavalcante | Midiamax

Depois de voltar atrás e adiar passar a exclusividade da vistoria veicular para as ECVs (Empresas Credenciadas de Vistoria), o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) realiza o serviço normalmente nesta segunda-feira (17).

Diretor-executivo do Sindetran (Sindicato dos Servidores do Detran), Bruno Alves, disse que os vistoriadores estão trabalhando normalmente em suas funções nesta segunda, mas que ficaram sabendo da decisão pela imprensa. “O Detran não abre diálogo”, pontuou.

Na sexta-feira (14), servidores protestaram contra a e paralisaram os serviços por uma hora – entre 10h30 e 11h30. Então, os 110 vistoriadores do departamento estavam sem saber qual seria a situação deles no órgão com a mudança e temiam perder comissões do cargo.

Prejuízo milionário

Com cerca de 180 mil vistorias feitas anualmente, o Detran deixaria de arrecadar cerca de R$ 28 milhões ao ano por deixar de realizar o serviço. Assim, o valor do prejuízo representa 11,6% do orçamento anual do Detran, que gira em torno de R$ 240 milhões.

Em nota, o órgão admitiu que não cumpre uma resolução do (Conselho Nacional de Trânsito). A medida foi publicada em dezembro de 2013 e determina que as vistorias veiculares sejam eletrônicas.

Sobre a perda milionária, o departamento minimizou, alegando que “não é questão de perder receita e que não pode e não vai compactuar com procedimentos ilegais, mesmo que tragam prejuízos consideráveis”.

Veja também

Inmet renovou alerta de perigo em potencial por baixa umidade do ar no Estado

Últimas notícias