Cotidiano

Ainda sob risco de desabamento, Bombeiros seguem com trabalhos no Atacadão

O Corpo de Bombeiros continua no prédio do Atacadão, que foi destruído por um incêndio no último domingo, onde esperam para realizar o rescaldo. Após mais de 39 horas de trabalho no local, ainda há um foco de calor, que é monitorado pelos militares. No entanto, por risco de desabamento do prédio, os bombeiros não […]

Dayene Paz Publicado em 15/09/2020, às 08h25 - Atualizado às 13h44

Bombeiros ainda seguem com trabalhos no local. Imagem: Henrique Arakaki
Bombeiros ainda seguem com trabalhos no local. Imagem: Henrique Arakaki - Bombeiros ainda seguem com trabalhos no local. Imagem: Henrique Arakaki

O Corpo de Bombeiros continua no prédio do Atacadão, que foi destruído por um incêndio no último domingo, onde esperam para realizar o rescaldo. Após mais de 39 horas de trabalho no local, ainda há um foco de calor, que é monitorado pelos militares. No entanto, por risco de desabamento do prédio, os bombeiros não podem acessar o interior para fazer o resfriamento desse foco.

“Ontem tentamos fazer o resfriamento por cima, utilizando as escadas e acessando a parte do prédio que já caiu, mas como se torna perigoso o acesso, zelando pela vida dos militares, optamos por esperar”, explicou o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Fernando Carminati. Até o momento, foram utilizados 650 mil litros de água para o combate ao fogo.

Neste momento, uma faixa da avenida Duque de Caxias, em frente ao Atacadão está interditada, para facilitar a movimentação das viaturas, mas o trânsito flui normalmente na região. Nesta manhã está sendo realizada a retirada dos produtos que não foram atingidos, que serão descartados. “O que não foi tomado pelo fogo, o calor estragou”, afirmou o tenente.

O incêndio que destruiu a loja do Atacadão na Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, teria consumido parte de estoque que renderia lucro de R$ 18 milhões ao atacadista no final do ano. Conforme informações apuradas pelo Jornal Midiamax, a loja já estaria sendo abastecida com todo o estoque para o período de final de ano e mercadoria, tanto das prateleiras como o do estoque aos fundos, estaria avaliada em milhões de reais. Tudo foi destruído.

O fogo começou às 17 horas de domingo (13) e se alastrou rapidamente. Casas chegaram a ser resfriadas e outras evacuadas, mas ninguém ficou ferido.

Jornal Midiamax